TeamSpeak da Comunidade: haxballpt.ts3pro.com

Darth Vader

Membro
  • Total de itens

    565
  • Registo em

  • Última visita

  • Days Won

    11

Darth Vader foi vencedor do dia em Janeiro 19

Darth Vader teve o maior número de likes!

Reputação

570 Excelente

2 Seguidores

Sobre Darth Vader

  • Rank
    Advanced Member
  • Data de Nascimento 10/10/1998

Últimos Visitantes

1,247 visualizações
  1. Darth Vader

    [FM19] A Estória de um Principado

    A Estória de um Principado A época passada fica marcada pela subida do Winterthur, que vence a Challenge League, e do Servette que venceu o Playoff de Promoção frente ao Neuchatel Xamax, descendo esta última e o St. Gallen para o segundo escalão do futebol suíço. Subia do terceiro escalão o Breitenrain. Após uma primeira época fantástica, Jean Pierre abraçava o projeto mais um ano, com a renovação no final da época 2018/2019. Com uma nova época a chegar, sabia que tinha de reforçar o seu plantel, de forma a ter uma equipa mais equilibrada em todos os setores, para ser mais competitiva e conseguir continuar a crescer. Como habitual, a nova temporada começa a ser preparada bastante cedo, devido aos jogos da 1ª Fase da Liga Europa para os quais a equipa do Vaduz se qualificou ao vencer a Taça do Liechtenstein. A equipa tem de se reforçar, mas será que vêm os jogadores certos para colmatar as fraquezas? Objectivos da Época: Alcançar Metade Superior da Tabela (são 10 equipas); Alcançar 3ª Fase da Liga Europa; Primeira época em força e Jean Pierre não viu necessidade de mexer muito na sua equipa de trabalho. Chegaram apenas dois olheiros, Nicola Wanger e Henrique. Assim sendo, a equipa técnica de 2019/2020 que irá trabalhar ao lado de Jean Pierre fica: ✔ Thomas Stickroth (Treinador Adjunto) ✔ Stephan Werthmüller (Preparador) ✔ Christian Kolodziej (Preparador Físico) ✔ Sebastian Selke (Treinador Guarda-Redes) ✔ Yves Débonnaire (Preparador) ✔ Franz Burgmeier (Olheiro Chefe) ✔ Nicola Wanger (Olheiro) ✔ Henrique (Olheiro) ✔ Frank Arndt (Fisioterapeuta Chefe) ✔ Manuel Nef (Fisioterapeuta) ✔ Marc Flammer (Fisioterapeuta) Entradas A preparação da segunda época tinha que trazer muitos jogadores para preencher lacunas na equipa, em especial o lado esquerdo ofensivo, que tinha só um jogador de raiz. Algumas contratações foram pensadas ainda antes do fim da temporada passada, outras seriam excelentes oportunidades de negócio que surgiam no momento. O Mercado de Verão trouxe ao Vaduz algumas caras novas: ✔ Otar Kakabadze (DD) - Lateral ofensivo, provável titular ✔ Timothy Tillman (ME/EE) - Jovem técnico dos bávaros com muito potencial ✔ Nicolas Gétaz (DE) - Veio reforçar o lado esquerdo da defesa, jogador completo ✔ Jeffren (EE/ED) - Ex-Sporting, outro jogador técnico formado no Barcelona, para trazer um jogo mais ofensivo ✔ Lorenzo Gonzalez (PL) - Avançado jovem, muita qualidade e sem custos ✔ Wouter van der Steen (GR) - Reforço a custo zero, que jogava no segundo escalão holandês, para reforçar a baliza ✔ Liridon Berisha (DC) - Central jovem promissor, para ser reserva ✔ Mamadou Doucouré (DC) - Contratação de última hora, de muita qualidade, com titularidade quase certa ✔ Joaquim Adão (MC) - Custo baixo para a qualidade que apresenta, vem rodar no meio-campo Saídas O Mercado ainda não estava aberto e já se falava de algumas saídas. Inicialmente, saíram quatros jogadores das camadas jovens, sem potencial, a custo zero: Gerzic, Koller, Caglar e Bejrami. No dia 19, viria a confirmação que Noah Blasucci iria ser emprestado ao Kriens, equipa a atuar na mesma divisão que o Vaduz, onde poderia ser titular e melhorar a sua qualidade. Tomislav Puljic saí a custo zero, depois de não se renovar o contrato com o croata, visto que era um jogador a mais no plantel. Saída por empréstimo até ao final da época de dois jogadores que foram opções na época passada, por não terem tanta oportunidade esta época: Berkay Sülüngöz e von Niederhäusern. Assim, os dois iriam jogar como titulares por duas equipas com bastante qualidade, uma relegada e a outra promovida de escalão, respetivamente. Após uma época fenomenal, em que foi o único jogador de raiz para a posição mais ofensiva do lado esquerdo, o Vaduz diz adeus a Christopher Drazan que ruma até ao LASK Linz, da Áustria, por 80 mil euros. É um jogador que podia ainda acrescentar algo, mas as novas opções e o valor oferecido foram motivos para a sua saída. Para tentar ainda resolver dois problemas no plantel, saída por empréstimo para o Eschen/Mauren de Benjamin Büchel, que pouco jogou na temporada passada, e Manuel Mikus, jovem lateral direito que não teria muita margem de progressão. Para terminar este período de transferências, mais duas saídas e logo no último dia de mercado: Cédric Chevalley saí por empréstimo para o Kriens, para tentar provar a sua qualidade ofensiva; Mario Bühler, patrão da defesa na temporada passada, que quis sair para o Lausanne que foi 5º classificado na última época, por "querer crescer na sua carreira". Honestamente, uma saída que fará falta e que pouco sentido fez, mas que tem um substituto melhor. Igor Tadic, avançado já em final de carreira, não foi opção de renovação para esta época, apesar de ter feito 8 golos em 30 jogos. Ospelt, Ben Vogt, Hilti e Tiganj são jovens sem qualidade e sem potencial, e como tal, foram dispensados das camadas jovens. Infelizmente, Paolo De Ceglie retirou-se dos relvados. Depois de ter sido contratado para o lado esquerdo da defesa na época anterior, o jogador italiano lesionou-se na pré-época com bastante gravidade (perna partida, 9 a 11 meses), optando por pendurar as botas. Guarda-Redes ✔ Andreas Hirzel ✔ Nico Krucker Wouter van der Steen Defesas ✔ Sadik Vitija (DC) ✔ Dylan Gissi (DC) ✔ Liridon Berisha (DC) Mamadou Doucouré (DC) ✔ Maurice Brunner (DD) ✔ Bryan Mallo (DD) Otar Kakabadze (DD) Maximilian Göppel (DE) ✔ Nicolas Gétaz (DE) Médios Philipp Muntwiler (MC) ✔ Milan Gajic (MC) ✔ Sandro Wieser (MC) ✔ Tobias Vogt (MC) Marco Mathys (MC/MD) ✔ Joaquim Adão (MC) ✔ Jodel Dossou (MD) ✔ Marco Schaan (ME/EE) Timothy Tillman (ME/EE) ✔ Jeffren (EE/ED) Avançados Mohamed Coulibaly ✔ Boris Babic ✔ Lorenzo Gonzalez Julho Início de mais uma temporada, com jogos frente a equipas mais fracas para preparar os jogos de qualificação da Liga Europa: Eschen/Mauren e Liechtenstein U18 foram jogos tranquilos, para se perceber e delinear uma equipa titular para o primeiro jogo da época 2019/2020. Primeiro jogo da Liga Europa mais uma vez fora, como na última época, frente ao Zeljeznicar da Bósnia. Primeiro jogo e uma resposta excelente da equipa, ao vencer por quatro bolas a uma. Valeu a exibição coesa da equipa, com algumas estreias, e goleadora. Até à segunda mão, a habitual partida para dar oportunidade a outros jogadores de se mostrarem, com uma vitória convincente por três bolas. A jogar em casa, a equipa mostrou que mandava e vence pela margem mínima, num jogo em que chegou mesmo a perder mas dominou do início ao fim. O sorteio não fora nada amigo, ao calhar na rifa o Levski Sofia da Bulgária (curiosamente, este jogo aconteceu na realidade na atual época 2018/2019, na 1ª Fase). Jogo complicado, com noção de que o primeiro jogo poderia determinar o nosso destino para a próxima fase. Jogo fora e a equipa respondeu muito bem, surpreendendo muitos. Vitória por quatro bolas a duas, destaque para os dois golos de Mohamed Coulibaly. Terminou o mês com a estreia para a liga, com um empate a duas bolas frente ao Aarau em casa. A vencer por duas vezes, a equipa foi-se abaixo, deixando-se empatar ao minuto 90+4. Terá sido o cansaço pós-jogo, com apenas dois dias de diferença, terá sido a longa viagem de regresso ou terá sido as poupanças? Agosto Começar o mês com o jogo da Liga Europa é complicado, ainda para mais quando a equipa está à frente da eliminatória. A não continuação na prova podia ter impacto no restante mês, mas a equipa mostrou que quer chegar longe. Vitória pela margem mínima, depois de já ter quase decidido na 1ª mão. Festa nas bancadas e mais uma vez na 3ª Fase de Qualificação. Com um jogo dia 3, sabíamos que o sorteio podia ditar-nos uma equipa forte, como no ano anterior. Dito e feito: Fiorentina é o nosso adversário, primeiro jogo em Itália. Antes desse jogo, a equipa responde bem com dois dias de intervalo e vence por três bolas a uma. Jogo importante em Itália. A equipa está habituada a defender fora de casa, para tentar resolver o jogo em casa. E que surpresa! Vitória do Vaduz por uma bola a zero, golo solitário de Dylan Gissi, que saltou sozinho aos 3 minutos, depois da conversão de um canto. Agora em casa é ter foco e defender bem, um golo de vantagem que pode valer por dois! Poupança de jogadores para o encontro frente ao Lausanne e, infelizmente, a equipa perde por um golo depois de estar a vencer. O golo de Lorenzo Gonzalez de nada valeu, pois a equipa da casa venceu a partida ao minuto 90+5. Segundo jogo a ser resolvido nos instantes finais, é de certeza o cansaço! A equipa quis mostrar que podia estar na luta pelo apuramento da Liga Europa e não seria frente aos seus adeptos que iria querer falhar. Aos 3 minutos, golaço de Boris Babic que sozinho ultrapassou dois defesas na velocidade e finalizou da melhor forma! O golo de Simeone aos 32 minutos seria um susto e bastava mais um golo dos «Viola» para dar a sua passagem. Felizmente, isso não aconteceu e o Vaduz passou à 4ª Fase de Qualificação, onde iria defrontar o Djurgarden da Suécia. Primeiro jogo em casa e vitória convincente por duas bolas a zero. Um pé quase na Fase de Grupos, algo histórico para o Vaduz. Mais uma vitória frente ao recém-promovido, Breitenrain, pela margem mínima. Valeu o golo de Jodel Dossou ao minuto 90+1. Na Suécia confirma-se um novo alcance na história do clube: chega pela primeira vez à Fase de Grupos da Liga Europa. Um empate a duas bolas, frente a uma equipa caseira que só podia procurar uma vitória. O mês termina com mais uma felicidade, depois da equipa vencer o Kriens por um golo aos 75 minutos de Gétaz. Setembro Mês curto em relação ao anterior, devido à pausa para jogos de seleções. Primeiro jogo depois de um descanso prolongado, para a estreia do Vaduz na Fase de Grupos da Liga Europa. Grupo B com Feyenoord, Baslieia e Rapid Vienna. Festa no Rheinpark Stadion e a receção do clube austríaco trouxe uma derrota, como seria de esperar. Equipa superior mas um jogo bem disputado entre as duas equipas, resolvida num erro da defesa da equipa caseira. O restante mês, com jogos uns seguidos aos outros corre na perfeição. Três jogos para a Liga, três vitórias. Destaque para o jogo frente ao Neuchatel Xamax e o St. Gallen, duas equipas despromovidas, que são derrotadas pela margem mínima. Este último jogo, um jogo disputado até ao fim, com Mohamed Coulibaly a resolver a partida. Outubro Segundo jogo da competição europeia e o Vaduz tinha um objetivo: sair da Fase de Grupos com pontos. Ora, o jogo na Holanda reencontrava o Feyenoord que eliminara na temporada passada o Vaduz. Desta vez, o jogo foi mais pesado e o golo Milan Gajic ao minuto 63 valeu apenas como um golo de honra da equipa visitante. Primeiro golo na Fase de Grupos para o Vaduz. Em jogos nacionais, os resultados eram diferentes. Dois jogos fora, uma das grandes dificuldades na época transata para o Vaduz e duas vitórias sem sofrer golos, frente ao Chiasso e ao Aarau. A equipa estava a responder muito bem, com qualidade e mortífera na frente. Chegava a vez de defrontar um gigante suíço, o Basileia. Viagem até à fronteira e um nulo no St. Jakob-Park. Primeira volta na Liga Europa fechada, um ponto para o Vaduz, que ganhava o seu primeiro ponto, logo fora de casa. O final do mês com mais duas vitórias: primeiro frente ao FC Wil, por três bolas a uma, no único jogo em casa; depois nos quartos de final da Taça de Liechtenstein, por uns expressivos sete a um frente ao Balzers III. Jogo ficou marcado pelo hat-trik de Mohamed Coulibaly. Novembro Mais jogos, mais complicação. O mês de Novembro não foi tão fácil assim. Gerir o plantel, gerir o campeonato e a tentativa de manutenção na Liga Europa. Empate a zero, sem sabor, frente ao Rapperswil. Seguia-se a receção do Basileia, que vence por um golo solitário de Christian Schneuwly, ao minuto 82. Resultado final que não fui justo face ao jogo disputado. A equipa não podia baixar braços e eis que vem o jogo da época até ao momento: cinco a um frente ao Lausanne. A equipa respondia da melhor forma contra um dos favoritos à subida, com Lorenzo Gonzalez no destaque, ao marcar um hat-trik em 52 minutos. A equipa do Vaduz viu as seleções mais uma vez em ação, e mais uma vez a perder um pouco o ritmo. Empate a zero frente ao Breitenrain foi consequência disso, sendo que a equipa já só pensava no jogo frente ao Rapid Vienna em casa. Noite de jogo importantíssimo para o Vaduz, com a equipa em máxima força. Marco Mathys e Lorenzo Gonzales marcam os golos que dão a vitória frente aos austríacos. Já perto do fim, Muntwiler viu o segundo amarelo e consequente vermelho por uma entrada e estará fora frente ao Feyenoord. Termina o mês com um empate, novamente a zeros, frente ao Kriens. A veia goleadora da equipa está a ter altos e baixos! Dezembro Último mês do ano civil 2019 e a equipa quer mostrar as suas qualidades. Três jogos em casa e um misto de emoções. Empate caseiro frente ao Xamax, por uma bola, com Boris Babic a empatar o jogo aos 66 minutos. Depois, uma vitória esmagadora frente ao Chiasso, por uns expressivos quatro a zero, com mais um hat-trik de Mohamed Coulibaly. Infelizmente, o avançado lesionou-se e vai estar fora do último jogo da Fase de Grupos. Derrota pela margem mínima, com Jorgensen a marcar ao minuto 52 para o Feyenoord e a estabelecer a terceira derrota em casa, por um golo, do Vaduz. O percurso do Vaduz na Liga Europa chega ao fim! A equipa não ressentiu e mostrou garra fora de portas. Vitória convincente frente ao St. Gallen, por duas bolas a zero, ambas na sequência de bola parada. O grande destaque da primeira volta vai para o alcance da equipa na Liga Europa. Primeira vez na Fase de Grupos, em seis jogos consegue quatro pontos, sendo esses pontos todos fora de casa, através de uma vitória e um empate. Para além disso, derrotas em casa pela margem mínima o que provou uma boa solidez defensiva. A equipa está de parabéns, alguns jogadores destacaram-se bastante, como é o caso de Mohamed Coulibaly, Lorenzo Gonzalez e Timothy Tillman, rei nas assistências. A equipa do Principado terá de continuar na boa forma que nos tem mostrado caso queira surpreender esta temporada, mais do que já surpreendeu. Excelente trabalho da equipa na construção do jogo, a controlar o ritmo de jogo e na forma como concretiza as oportunidades. Segunda Metade da Época Brevemente...
  2. Darth Vader

    Memes do Haxball

  3. Darth Vader

    [FM19] A Estória de um Principado

    A Estória de um Principado Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos. - Friedrich Nietzsche Entradas No fim da primeira volta, e com uma pausa de jogos até Fevereiro, Jean Pierre percebeu que havia setores na equipa que precisavam de reforços, nomeadamente o lado esquerdo do meio-campo, que até então tinha só uma opção de raiz. O Mercado de Inverno trouxe ao Vaduz quatro caras novas: ✔ Dylan Gissi (DC) - Central com experiência internacional, mais um suíço com origem na Argentina para competir por um lugar no onze inicial ✔ Bryan Mallo (DD) - Jovem lateral com possível crescimento de qualidade no futuro ✔ Nico Krucker (GR) - Jovem promessa com possível ascensão de potencial no futuro ✔ Paolo De Ceglie (DE/ME) - Já com a sua experiência, jogador italiano que conhece o futebol suíço e que foi outrora titular da Juventus Saídas Saída de dois jogadores: Lüchinger, médio nas reservas do Vaduz, por um valor bastante bom para a sua qualidade (7 mil euros); Cédric Chevalley, jovem suíço sem espaço no ataque, vai ser jogador chave no Baden, até ao final da época. ✔ Tobias Vogt (MC) - Suíço, talento nato com a bola ✔ Marco Schaan (ME) - Suíço veloz, prodígio Janeiro Pausa na competição, pré-época de Inverno para iniciar-se a 19 de Janeiro, mais de um mês depois do último jogo oficial do Vaduz. Três jogos, dois contra adversários superiores. Uma vitória curta mas domínio do início ao fim frente ao Spinalien. Seguiu-se Juventus U23, com alguns craques da equipa A e o gigante croata, Dinamo Zagreb. Fevereiro Kosova Zürich para terminar a pré-época antes do primeiro jogo da terceira volta do campeonato. Vitória suada, exibição segura e bonita por parte do Vaduz. Parece que estamos prontos para o regresso à competição! Primeiro jogo fora de casa e as coisas continuam iguais... Derrota por uma bola a zero, exibição forte mas a falta de eficácia foi decisiva para o lado dos visitados. A equipa queria responder da melhor forma e nada melhor que duas vitórias seguidas, frente ao Kriens e ao FC Wil, este último fora de casa. Claro que nem tudo é fácil, e regressar à competição com cinco jogos no mesmo mês é complicado gerir o plantel. Duas derrotas no fim do mês foram muito provavelmente motivo disso. Perder em casa por uma bola frente ao Servette era algo do qual não estávamos habituados mas é uma equipa grande. Derrota fora de casa por uns pesados quatro a zero. Continuamos sem vencer o Winterthur, e terminamos o mês com dois jogos consecutivos sem marcar. Março Dois jogos sem marcar e nada pior que começar o mês com mais um jogo a zeros. A equipa precisa de responder, principalmente o ataque, visto que os golos desapareceram. Mais quatro jogos e a equipa voltou a mostrar que manda. Vitória pela margem mínima contra o Aarau, com o recém-contratado Dylan Gissi a ganhar nas alturas no canto. Fora de casa voltou ao antigamente, empate a uma bola contra o Chiasso. Para terminar a terceira volta, vitória em casa frente ao Lausanne, numa exibição incrível em todos os aspetos, com um golo bem cedo a resolver o jogo: 6 minutos e De Ceglie marcava! Por fim, início da quarta e última volta do campeonato com uma vitória caseira, mais uma vez um golo bastou para selar a vitória. Abril Depois de um mês incrível veio o mês de Abril, cheio de tensão, pressão e pressa para decidir os nossos objetivos. Derrota fora de casa, contra o Kriens, não era o início que se queria, mas o restante mês foi tranquilo. Vitória em casa frente ao FC Wil, com Jodel Dossou a bisar na partida. Seguiu-se a meia final tranquila, resolvida com sete golos frente à equipa B dos Balzers, equipa que vence a outra meia final e será oponente do Vaduz na final! Para terminar em beleza, vitória importantíssima no terreno do Servette, resolvida pela dupla de ataque Igor Tadic e Mohamed Coulibaly, bem como um empate frente ao Winterthur, equipa que não nos foi possível vencer ao longo da época. Maio Último mês da época. Decisões têm de ser certeiras e não me poderei queixar. O calendário não foi o mais feliz, dado aos nossos jogos fora de casa. Início fenomenal com uma vitória tranquila no terreno do Rapperswil, seguindo-se um empate a zero e uma vitória na despedida dos jogos em casa para a liga, visto que falta ainda o jogo da final da Taça de Liechtenstein. Terminamos a Liga com um empate a duas bolas frente ao Lausanne, num jogo em que por duas vezes tivemos a perder. O estádio está ao rubro para o jogo da Taça. São quase 7 mil adeptos no estádio para ver o Balzers defrontar o Vaduz. A pressão está em cima de todos os jogadores e treinadores, é a hora do espetáculo! Muitas poupanças do lado do Vaduz, devido ao jogo frente ao Lausanne para a Liga. Apesar da rotatividade, a qualidade do Vaduz é clara. O início do jogo fica marcado por um frango de Benjamin Büchel, que ao longo da época perdeu espaço na seleção. Jodel Dossou consegue empatar ao minuto 24, com uma arrancada pela direita e rematando com força para o poste mais distante. A equipa do Vaduz procura chegar à frente do marcador e o início do segundo tempo provoca alteração no marcador. Segundo golo para o Vaduz, golaço de Marco Mathys de livre direto. Que forma de conquistar um título, o primeiro na carreira de Jean Pierre Oliveira! E chegamos ao fim da época! Em termos individuais, destaque para Mohamed Coulibaly que carregou a equipa do Vaduz com 23 golos e 11 assistências numa só temporada, sendo o melhor jogador do plantel. Destaque ainda para as exibições de Boris Babic, Marco Mathys, Drazan e Sandro Wieser que ajudaram a equipa a alcançar os objetivos da época! Em termos de jogos, a equipa fez uma segunda volta incrível! Provou estar acima das expectativas criadas no início da temporada, realizou uma excelente campanha e foi pena não ter conseguido o Playoff de Promoção por apenas um ponto! Contudo, uma época fantástica, superando as expectativas e vencendo a Taça! Guarda-Redes ✔ Andreas Hirzel - 41 Jogos / 44 Golos Sofridos / 14 Sem Sofrer / 6.91 ✔ Benjamin Büchel - 1 Jogo / 1 Golo Sofrido / 6.90 ✔ Nico Krucker - 3 Jogos / 2 Golos Sofridos / 1 Sem Sofrer / 7.03 Defesas Mario Bühler (DC) - 42 Jogos / 1 Golo / 0 Assistências / 6.84 ✔ Sadik Vitija (DC) - 31 Jogos / 2 Golos / 0 Assistências / 6.82 ✔ Berkay Sülüngöz (DC) - 6 Jogos / 0 Golos / 0 Assistências / 7.27 ✔ Dylan Gissi (DC) - 15 Jogos / 1 Golos / 0 Assistências / 6.77 ✔ von Niederhäusern (DD) - 9 Jogos / 0 Golos / 0 Assistências / 6.76 ✔ Maurice Brunner (DD) - 34 Jogos / 0 Golos / 8 Assistências / 6.94 ✔ Manuel Mikus (DD) - 1 Jogo / 0 Golos / 0 Assistências / 6.60 ✔ Bryan Mallo (DD) - 8 Jogos / 0 Golos / 0 Assistências / 7.02 ✔ Paolo De Ceglie (DE) - 14 Jogos / 1 Golo / 0 Assistências / 6.89 Maximilian Göppel (DE) - 36 Jogos / 1 Golo / 5 Assistências / 6.91 ✔ Tomislav Puljic (DE) - 9 Jogos / 0 Golos / 0 Assistências / 7.12 ✔ Roman Spirig (DE) - 16 Jogos / 0 Golos / 4 Assistências / 7.21 ✔ Lukas Graber (DD) - 1 Jogo / 0 Golos / 0 Assistências / 6.80 Médios Philipp Muntwiler (MC) - 31 Jogos / 1 Golo / 0 Assistências / 6.83 ✔ Milan Gajic (MC) - 41 Jogos / 4 Golos / 3 Assistências / 6.92 ✔ Sandro Wieser (MC) - 36 Jogos / 2 Golos / 3 Assistências / 7.01 Marco Mathys (MC/MD) - 33 Jogos / 5 Golos / 9 Assistências / 6.95 ✔ Aron Sele (MC) - 3 Jogos / 1 Golo / 0 Assistências / 6.50 ✔ Tobias Vogt (MC) - 2 Jogos / 0 Golos / 0 Assistências / 6.90 ✔ Jodel Dossou (MD) - 33 Jogos / 6 Golos / 3 Assistências / 6.95 ✔ Christopher Drazan (ME) - 28 Jogos / 4 Golos / 5 Assistências / 7.06 Avançados Mohamed Coulibaly - 44 Jogos / 23 Golos / 11 Assistências / 7.07 ✔ Igor Tadic - 30 Jogos / 8 Golos / 5 Assistências / 7.01 ✔ Boris Babic - 38 Jogos / 13 Golos / 9 Assistências / 7.01 Noah Frick - 26 Jogos / 3 Golos / 1 Assistência / 6.92 ✔ Ferhat Saglam - 1 Jogo / 0 Golos / 0 Assistências / 6.60 Época 2019/2020 Brevemente...
  4. Darth Vader

    [FM19] A Estória de um Principado

    Visto que é o segundo comentário sobre o mesmo assunto, venho esclarecer a todos que tanto «história» como «estória» estão corretos, apenas são utilizados em situações diferentes (ex.: A História do Porto começa em 1893 / A estória da Capuchinho Vermelho) Estória - Narrativa de ficção, oral ou escrita. = CONTO, FÁBULA, HISTÓRIA, NOVELA Visto ser uma narrativa fictícia escrita, decidi escrever como «estória», sendo que qualquer outra seria bem aplicado segundo o dicionário português! Seja como for, obrigado pelo comentário e espero que gostem do tópico!
  5. Darth Vader

    [FM19] A Estória de um Principado

    A Estória de um Principado Jean Pierre Oliveira, nasceu a 26 de Agosto de 1980, em Rupperswil na Suíça. Filho de pais imigrantes, oriundos de Portugal, Jean Pierre cedo se virou para o futebol, acabado por jogar a nível regional nos campeonatos helvéticos. Acabaria por jogar os seus últimos dois anos em Portugal, terminando a carreira aos 37 anos. Depois de pendurar as chuteiras, decidiu prosseguir o seu sonho fora das quatro linhas, como treinador. A oportunidade que lhe surge é um espanto! Recebe um telefonema de um primo da Suíça que trabalhava no mundo do futebol e tinha contactos na Suíça, Áustria e Liechtenstein. O Vaduz estaria à procura de um treinador determinado e com motivação para um novo projeto. Estariam dispostos a jogar um futebol diferente, e Jean Pierre não pensou duas vezes: "Eu vou!" "A equipa do Vaduz é muito humilde e com alguns jogadores de grande qualidade para estarem sequer no segundo escalão suíço". Objectivos da Época: Alcançar Metade da Tabela (são 10 equipas); Alcançar 3ª Fase da Liga Europa; Guarda-Redes ✔ Andreas Hirzel - O melhor do plantel, provável titular ✔ Benjamin Büchel - Internacional pelo Liechtenstein Defesas Mario Bühler (DC) - Patrão da defesa ✔ Sadik Vitija (DC) - Emprestado pelo Grasshoppers, jovem prodígio ✔ Berkay Sülüngöz (DC) - Jovem turco, 3º central ✔ von Niederhäusern (DD) - Lateral mais defensivo ✔ Maurice Brunner (DD) - Lateral mais ofensivo ✔ Manuel Mikus (DD) - Jovem das camadas jovens Maximilian Göppel (DE) - Jovem prodígio, internacional pelo Liechtenstein ✔ Tomislav Puljic (DE) - Croata com experiência, já em final de carreira ✔ Roman Spirig (DE) - Jovem das camadas jovens Médios Philipp Muntwiler (MC) - Capitão de equipa ✔ Milan Gajic (MC) - Sérvio criativo ✔ Sandro Wieser (MC) - Internacional pelo Liechtenstein, com experiência exterior (ex-Reading) Marco Mathys (MC/MD) - Organizador de jogo ✔ Aron Sele (MC) - Reserva ✔ Jodel Dossou (MD) - Natural do Benim, qualidade física ✔ Christopher Drazan (ME) - Única opção de raiz para o lado esquerdo ofensivo, austríaco técnico Avançados Mohamed Coulibaly - Jogador chave do Vaduz, finalizador nato do Senegal ✔ Igor Tadic - Veterano suíço, já em fim de carreira ✔ Boris Babic - Jovem emprestado pelo St. Gallen, muito rápido e finalizador Noah Frick - Jovem prodígio das camadas jovens, apenas 16 anos Com a época a começar a ser preparada logo no mês de Junho, Jean Pierre não viu necessidade de estar já a fazer alterações ao seu plantel. Podia não ser o melhor plantel do mundo, mas quis dar oportunidade a todos os que já faziam parte deste projeto, planeando apenas fazer uns ajustes no Mercado de Inverno caso fosse necessário. Junho Dois amigáveis bastante acessíveis, apenas para começar a trabalhar a tática e observar um ou outro jogador para começar a determinar os titulares. Julho Terminar a pré-época contra duas equipas superiores às defrontadas no mês anterior, em destaque o empate frente ao Austria Vienna. Dia 12 começava a responsabilidade, a estreia no banco para jogos oficiais, logo para a 1ª Fase da Liga Europa frente ao KI Klaksvik das Ilhas Faroé. Primeiro jogo fora e a resposta da equipa foi a que se esperava. Três golos marcados, nenhum sofrido, domínio total do Vaduz. Um pé na próxima fase estava assegurado. Uma semana depois, a segunda mão e a resposta mais uma vez excelente. Desta vez, um golo sofrido, aos 84 minutos, quando a equipa já vencia por três golos de diferença. Para terminar o mês, mais dois amigáveis, apenas para rodar os jogadores que não iriam jogar frente ao Irtysh Pavlodar do Cazaquistão para a 2ª Fase da Liga Europa. Primeiro jogo fora e mais uma excelente resposta da equipa. Estreia para o campeonato, segunda divisão frente ao Schaffhausen. Vitória convincente por três bolas a uma. Equipa forte na troca de bola e posse da mesma. Os adeptos não poderiam estar mais contentes com este início! Agosto O mês mais complicado sem dúvida! Jogo atrás de jogo, e logo com uma resposta incrível da equipa, em casa por sete bolas a uma. A equipa visitante viria a marcar o golo de honra aos 86 minutos, depois de estar a perder por seis bolas ao intervalo. Dois dias depois, frente ao FC Will. Jogado em casa, poupava-se uma viagem cansativa de regresso mas o cansaço existia. Vitória pela margem mínima, com um golo de Mohamed Coulibaly, que irão de certo ouvir muito este nome. Por outro lado, o sorteio da Liga Europa ditava-nos um adversário muito complicado, o Feyenoord. Na Holanda, totalmente na defesa, vitória por um golo, de bola parada (e que golo!) por Ayoub à hora de jogo. Até à segunda mão, deslocação até à Suíça contra um dos favoritos para a promoção, o Servette. E a equipa, mesmo cansada, deu tudo em campo, alcançando a vitória por duas bolas a uma. Valeu mais uma vez Coulibaly, que apontou o golo da vitória aos 90+4 minutos, gelando o Stade de Géneve. Regresso até ao Principado e preparação para defrontar um gigante dos Países Baixos. Boa exibição da equipa do Vaduz, infelizmente sem conseguir continuar na prova, mas com um resultado positivo. Porém, o mês termina com duas derrotas: fora frente ao Kriens, onde o Vaduz jogou com dez jogadores a partir do minuto 5, depois da expulsão de Sandro Wieser, tendo conseguido ainda empatar o jogo aos minutos 45+2 e 65 (2-2), sofrendo aos 83 minutos o golo que daria a vitória à equipa visitada; derrota em casa frente ao Winterthur, sendo surpreendente a falta de eficácia. Setembro Início do mês com mentalidade para mudar os últimos dois jogos. Duas derrotas depois, o Vaduz vence fora o Rapperswill (não confundamos com Rupperswil) por três bolas a uma. Com a pausa de seleções e mais de 30 jogadores convocados, sendo a maioria do Liechtenstein, a equipa que restou viria a jogar um jogo treino frente ao Kosova Zurich para ver alguns jogadores com menos oportunidades até então. Viriam mais dois jogos, e mais pontos perdidos. Fora de casa, a equipa parece com dificuldades e a derrota frente ao Aarau confirmou isso mesmo. Depois, talvez ainda ressentida, o empate frente ao Chiasso seria uma vez mais uma surpresa. Outubro Três jogos para o campeonato e recuperava-se já alguns pontos perdidos. Sendo o campeonato de quatro voltas (4 jogos contra cada equipa, 36 jogos no total), terminava-se a primeira volta com uma derrota frente ao outro grande favorito para a promoção, o Lausanne. Depois, um fim de mês excecional, novamente com uma vitória frente ao Schaffhausen e a vitória em casa frente ao Kriens. Terminava-se o mês de Outubro com uma vitória pela margem mínima frrente ao Eschen/Mauren, talvez a segunda melhor equipa do Principado, valendo o golo do prodígio nacional Noah Frick. A meia-final seria apenas em Abril frente ao Balzers II, equipa B do Balzers. Novembro Mês positivo: três jogos, cinco pontos em nove possíveis. Fora de casa, as dificuldades persistem mas a equipa parece responder melhor. Em casa, domínio frente ao gigante Servette, com Coulibaly e Milan Gajic a marcarem para a vitória caseira. Dezembro Último mês do ano civil 2018, e para terminar a segunda volta com quatro jogos. O primeiro jogo em casa, com uma vitória pela margem mínima frente ao Rapperswil, com um golo solitário de Aron Sele. Uma semana depois, o Aarau conseguia sair do Rheinpark Stadion com um empate a duas bolas. Os golos de Coulibaly e Noah Frick não valeram a vitória perante uma exibição impressionaste de Marco Schneuwly, que bisou na partida. O jogo frente ao Chiasso seria o único fora de casa no mês natalício, e infelizmente mais do mesmo: um empate. Termina-se com mais uma derrota frente ao Lausanne, agora pela margem mínima. Coulibaly ainda reduziu aos 59 minutos mas a equipa do Vaduz não conseguiu empatar. Em termos individuais, o meu destaque vai Mohamed Coulibaly, que se mostrou muito forte na área adversária. Bastante eficaz e matador, o avançado senegalês é a grande referência do Vaduz. Também destaque para Noah Frick, a jovem promessa do Liechtenstein, que tem mostrado um grande futebol apenas com 16 anos, e Marco Mathys, jogador suíço que organiza o ataque e gere o ritmo de jogo. Em termos de jogos, o destaque vai para as duas vitórias frente ao Servette. Um adversário muito complicado, duas vezes ultrapassado pela margem mínima mas dominado pelo Vaduz. Podia igualmente destacar a vitória por sete golos à equipa do Cazaquistão ou até o empate frente ao Feyenoord. Em suma, muita qualidade dentre das quatro linhas, em termos de coletivo. Mesmo quando a equipa perde, é normal ser um jogo bem disputado e o Vaduz chega mesmo a dominar as partidas, mostrando grande capacidade de gerir o jogo e procurar o golo. Será impensável pensar em diminuir a qualidade na segunda metade da época! Segunda Metade da Época Brevemente...
  6. Darth Vader

    [FM19] A Estória de um Principado

    A Estória de um Principado Vaduz, coração do pequeno principado de Liechtenstein, tem um pouco mais de 5 mil habitantes, numa área superficial de 17 km². Apesar de não ser a maior cidade do pequeno principado, que faz fronteira com a Suíça e a Áustria, Vaduz é a sua capital e é onde se joga o melhor futebol nacional. Devido às poucas dimensões deste Estado europeu (microestado), as poucas equipas fundadas (7) foram colocadas nas competições suíças. O Vaduz é atualmente a única equipa profissional, sendo as restantes amadoras que jogam nos escalões inferiores da Suíça. Anualmente joga-se a Taça Nacional, onde as equipas se defrontam e se estipulou que o vencedor da Taça do Liechtenstein representará o Principado na Liga Europa (apenas uma equipa apurada para competições europeias). A dúvida fica em cima da mesa: terá o Vaduz qualidade para chegar aos grandes palcos com o passar dos anos? Será que o maior clube do Liechtenstein conseguirá tornar-se um ícone no futebol europeu e juntar o seu nome aos vencedores da maior competição de clubes do mundo? Para isso terá de ultrapassar muitos obstáculos, e terá apenas duas formas de alcançar esse feito na Liga dos Campeões: vencendo a Liga Europa e apurando-se para a Liga dos Campeões ou vencer a Super Liga Suíça para chegar à Liga Milionária. Resta saber se estão eles preparados para grandes feitos! Historial Clube: ✔ Época 2018/19 • Challenge League 3º Lugar (61 pts)• 3ª Fase da Liga Europa (Eliminado pelo Feyenoord 1:2 a.g.)• Vencedor da Liechtensteiner Cup (Frente ao Balzers 2:1) ✔ Época 2019/20 Brevemente... Historial Treinador: Liechtensteiner Cup [2018/19]
  7. Darth Vader

    Supertaça 7ª Época

    Não há assists? Enfim....
  8. Darth Vader

    Jornal - Haxball Awards 2018

  9. Darth Vader

    Um Feliz Natal companheiros!

    Feliz Natal a todos os membros da comunidade! 🎅
  10. Darth Vader

    Memes do Haxball

    Daí ser lógica dos LA!
  11. Darth Vader

    Memes do Haxball

    Parabéns às duas equipas por terem chegado à final! Boa sorte, que vença a melhor! E não se preocupem que não haverá DDOS!
  12. Darth Vader

    Abuso de Poder

    Boa noite, Gostaria desde já dizer que é uma vergonha esta onda de criação de tópicos inúteis e sem contexto, que em nada refletem a verdade dos factos ocorridos e que, por sua vez, tende a confundir outros membros deste Fórum que não presenciaram os acontecimentos. Quanto ao que se sucedeu hoje, é lamentável os problemas chegarem ao ponto que chegou. A invasão dos jogadores dos BA, que na altura dos factos se encontravam online no servidor do teamspeak, foi tentativa de resolução pacífica e tranquila, sem desacatos e sem bans. Pedi com gentileza, como um dos admins do channel "Real Warriors", para que os membros dos BA saíssem do channel. Ora, tal não aconteceu, o que fez com que o Pablo Aimar voltasse ao teamspeak e visse aquela zaragata toda. Novamente, pedi para que abandonassem, coisa que não fizeram. O Pablo, como administrador, fez o que mais lhe compete: usou os seus poderes em prol do bem-estar da Comunidade, cumprindo os requisitos apresentados nas regras de utilização do TeamSpeak. É lamentável esta equipa e não só, como alguns nomes constantes em problemas aqui no Fórum, parecerem querer arranjar problema em tudo e em todos, contentando-se só e apenas com este tipo de conteúdo. Acho mal que alguns membros do Staff do Fórum venham, em público, exprimir desagrado ou ir contra certas atitudes de outros membros do Staff. É rude e feio ver que é sempre um ataque aos "mais vulneráveis", nós membros, quando na verdade um pequeno grupo aproveita, usa e abusa dos seus direitos, sem respeitarem as suas obrigações e os direitos dos outros. Para concluir, acho igualmente interessante a utilização de comprovativos e/ou relatos descontextualizados com os factos verídicos, como a não coerência do que é relatado entre membros que presenciaram o que aconteceu ("E o arda chamou-te palhaço aonde?";"Chamei-te palhaço e chamo outra vez, não aguentas?") Nada mais a acrescentar, Darth Vader
  13. Darth Vader

    Memes do Haxball

  14. Darth Vader

    Memes do Haxball