Neve.

Jornal HBPT
  • Total de itens

    164
  • Registo em

  • Última visita

  • Days Won

    7
  • Pontos

    47 [ Doar ]

Neve. foi vencedor do dia em Agosto 16

Neve. teve o maior número de likes!

Reputação

266 Excelente

1 Seguidor

Sobre Neve.

Últimos Visitantes

550 visualizações
  1. Neve.

    HBPT - Liga Haxball Futsal#1

    Atualizado @Talisca@@@. (A equipa VGH agradece ao Creator pela sua disponibilidade e pelo tempo perdido) Entretanto confirmo o resultado do jogo vs BP e aguardamos pelas próximas jornadas.
  2. Neve.

    Galeria - Modrić

    Eu tinha cuidado com as considerações do Chaves deste ano. 75% do plantel são jogadores que ou na época passada fizeram menos de 20 jogos oficiais ou jogadores que vieram de escalões inferiores... e as exibições/resultados até agora espelham essa falta de qualidade individual e coletiva. Btw, é sempre bom ter galerias e coisas deste género no HBPT. Mostrar a vossa arte, a vossa progressão e tentarem fazer trabalhos para quem necessita é de louvar. 👍
  3. HeroesInTown - UMA MARCA NO TOPO NACIONAL História? Reconhecimento? Talento? Supremacia? Todos os predicados são poucos para qualificar uma equipa tão marcante no Haxball em Portugal. Heroes In Town, uma formação criada no auge do HBPT por B0$$ e Diogo que se destacou pela sua organização, responsabilidade e qualidade haxbolística. Para além dos títulos arrecadados, os HIT conseguiram passar a imagem de uma equipa com estilo vencedor, praticando um Haxball positivo e sempre com uma harmonia tremenda entre os jogadores que se notava a cada jogada efetuada. Mas vamos por partes. No que se refere às conquistas, os dados estatísticos não mentem, ou seja, os HIT alcançaram vários triunfos de carácter oficial e oficioso. Contudo, como o que fica de significativo são as distinções nas provas oficiais, então contabilizam-se no total três títulos: 🏆 5ª época - SuperLiga 3v3 & Taça de Portugal 3v3; 🏆 1ª versão - Liga Aspirina; É verdade que esta equipa podia ter ganho mais competições a nível nacional, mas não deixa de ser apreciável os seus feitos, uma vez que, naquela época, tinham forte concorrência de formações como EC ou FAMILIA. Tratava-se de uma equipa diferente que tinha como principal alicerce os seus jogadores - para além de possuírem uma qualidade acima da média, também eram fieis e focados no projeto. E foi principalmente esta característica que acabou por diferenciar os HIT e dar-lhes um lugar de destaque na história do HBPT. De facto, os jogadores foram a bandeira do clube e não é de estranhar: B0$$, Diogo, Mód Ród, TOMAS, Cesk, roN, Wigas, Renato ou barofa dignificaram dentro das quatro linhas os Heroes In Town de uma forma brilhante. Deste modo, damos lugar a uma entrevista exclusiva com um dos dois líderes do conjunto. Uma personalidade que colocou ordem na casa quando foi preciso, implementou os seus princípios de jogo e de convivência e foi uma peça base para o sucesso global dos HIT. Sem mais demoras, passamos à conversa com o @B0$$.  Entrevistador - Primeiramente muito obrigado por teres aceito esta colaboração. Ora, os HIT sempre foram uma equipa com um elevado prestígio a nível nacional. Como antigo líder da equipa, o que pensas que vos levou a ter um reconhecimento tão significativo? Por outras palavras, qual foi o fator determinante para o vosso êxito? Considerando que neste âmbito podemos referir aspetos como o estilo de jogo, os jogadores que compunham o plantel, os êxitos coletivos ou o ambiente que imperava no vosso grupo. B0$$ - Antes de mais, obrigado pelo convite. É com muito agrado que aceito fazer esta entrevista, pois esta equipa fez parte da minha vida durante um largo período de tempo e continuará a ter sempre um espaço no meu coração. Quanto à pergunta, o que mais nos diferenciava das outras equipas era o estilo de jogo e o ambiente do grupo, para além da química da equipa ser excelente. Não tínhamos grandes executantes tecnicamente, mas conseguimos usar a nossa maturidade a nosso favor, visto que éramos das equipas com a faixa etária mais elevada, tendo em conta a idade média dos jogadores da comunidade (o que na altura fazia muita diferença). Não fazíamos treinos diários como maior parte dos miúdos das outras equipas faziam, no entanto, a equipa funcionava como um relógio. Como já disse, o ambiente da equipa era extraordinário e a maioria de nós tinha espírito competitivo, ou seja, sentíamos que a equipa estava feita para ganhar sem precisar de muito treino. Os outros jogadores gostavam de nos ver jogar e tínhamos muitos “adeptos”. Entrevistador - Perante tantos acontecimentos bem sucedidos que marcaram os HIT, o que vos levou a por fim ao projeto? Porque, na verdade, estamos a falar de uma época onde o Haxball em Portugal ainda estava com uma competitividade e atividade consideráveis. B0$$ - O projeto acabou na pior altura. Tínhamos sido campeões pela primeira (e única) vez na quinta época, destronando os EC que eram, até àquele momento, os únicos campeões que a comunidade conhecia, tendo ganho as quatro primeiras edições do campeonato HBPT. Sempre foram os nossos rivais (e de quase toda a comunidade) e o nosso objectivo principal era ganhar o campeonato, conseguimos fazê-lo depois de estar sempre na luta nas épocas anteriores. A época seguinte, coincidiu com a entrada do nosso único GR na faculdade, o que lhe tirou imenso tempo para contribuir na maior parte dos jogos. Eu próprio já andava na faculdade e tinha também o meu tempo reduzido - não consegui contribuir para a equipa nem tão pouco arranjar substituto à altura do Mód Ród, não por falta de procura, mas por falta de qualidade na comunidade. Ou seja, sem um bom GR, a equipa com pouca disponibilidade e já com o nosso objectivo principal cumprido (ganhar o campeonato), a equipa tornou-se displicente e entrou numa espiral de maus resultados o que levou à descida de divisão. O choque foi tão grande, que os jogadores não quiserem jogar na Liga de Honra, a equipa acabou e saiu pela porta pequena. Foi pena, mas foi uma história bonita que infelizmente não teve o melhor final. No entanto, não houve ressentimentos, cada um seguiu o seu caminho e quem continuou a jogar competitivamente encontrou sucesso noutras equipas. Entrevistador - Na tua sincera opinião, achas que os Heroes In Town podem estar dentro de um pódio das melhores equipas de todos os tempos em Portugal? E, em qualquer dos casos, qual seria o lugar em específico que colocavas a equipa dentro do top nacional? B0$$ - Essa pergunta não é de fácil resposta, pois não assisti aos últimos anos de competição. Contudo, devo confessar que não me parece que as equipas actuais sejam mais fortes do que nós éramos na altura. Sendo assim, vou responder à pergunta de outro ponto de vista, isto é: colocando TODAS as equipas que passaram no HBPT, na sua força máxima, a jogar numa liga, os HIT estariam certamente no pódio. O jogo está em completo declínio, por isso não dou muito valor a conquistas recentes. Não dou valor aos "Reis das Cinzas". Entrevistador - Outro vinco distintivo da equipa foi o facto de manterem um núcleo duro de jogadores que sempre tiveram de corpo e alma com os ideais da equipa. Falo nomeadamente de Diogo, Mód Ród, Tomás ou tu próprio. Como é que conseguiram manter esta característica que unia os membros da equipa? B0$$ - Essa sempre foi uma característica de que nos orgulhamos. Como já disse anteriormente, a nossa equipa era composta maioritariamente por malta mais velha, tendo em conta a média de idades da comunidade. Para teres uma ideia, entrar nos HIT era quase impossível. Não queríamos encher a equipa com miúdos, saltitões ou vedetas, que certamente só viriam estragar o fantástico ambiente que se vivia na equipa. A equipa foi escolhida a dedo e depois de formar o núcleo não houveram alterações. Sempre tivemos os 7 fantásticos: Eu, Diogo, roN, Mód Ród, Wigas, TOMAS e Renato. A estes juntaram-se em tempos diferentes o GG, o Cesk e o génio Barofa. Foram estes os jogadores que contribuíram para o sucesso dos HIT ao longo do seu período activo. A eles agradeço tudo o que fizeram por esta equipa! Entrevistador - Imaginemos que o Haxball em Portugal volta aos seus teus áureos e que alguns dos antigos constituintes da equipa conseguiam arranjar um tempo extra para se tornarem efetivamente ativos no jogo. Mesmo assim, seria credível um possível regresso? B0$$ - O regresso já aconteceu, em 2014. Apenas comigo e com o TOMAS como membros originais, conseguimos arranjar um plantel interessante e pessoalmente estava bastante motivado para relançar o nosso nome. Infelizmente, poucas semanas após anunciar o regresso, eu fiquei impossibilitado de jogar por motivos profissionais. O TOMAS fez tudo ao seu alcance para manter a equipa, mas a única coisa semelhante com a equipa de outrora era o nome. O projeto do regresso durou tão pouco tempo, que maior parte das pessoas não se lembra dele... acho que apenas jogamos uma ou duas épocas. Depois dessa má experiência penso que jamais se voltarão a recriar os HIT. Em primeiro lugar porque apenas dois jogadores continuam a jogar Haxball, em segundo lugar porque não mantenho contacto com quase nenhum dos jogadores, e por último, porque prefiro deixar essa parte da minha vida para trás, guardando apenas os bons momentos e as boas recordações do tempo em que o Haxball era Haxball. Para já, estou envolvido no projecto dos FZ, do qual apenas faço parte devido às pessoas que lá estão, mas garanto que esta será certamente a minha última equipa. Com isto me despeço, agradecendo mais uma vez o convite. Agradeço também o teu trabalho, empenho e dedicação a tentar trazer de volta o Jornal HBPT e alguma motivação extra para este jogo parar de morrer aos poucos. Um abraço! HIT HIT HIT Como é que os adversários olhavam para os HIT? @SUP3R7UG4 - "Eram um adversário com imensa qualidade... uma química notável. Contudo, acho que dependiam muito do que o Mód Ród podia ou não fazer. Para mim, quando estavam na plenitude dos seus recursos, eram a melhor equipa em termos de qualidade de jogo. Aliás, eles e os FAMILIA, praticaram o melhor Haxball já visto em Portugal. Infelizmente, para os HIT, depois pecavam um pouco na finalização, o que lhes custou alguns títulos coletivos." @Pablo Aimar - "Quando os COP entraram no HBPT (pouco antes da 5ª Época), os HIT já eram uma equipa consolidada e que lutava pela conquista das competições. Sendo uma equipa que já jogava desde a primeira época, naturalmente que eram das melhores equipas da altura e tinham um plantel com grandes jogadores, dos quais destaco o B0$$, o Renato, o Barofa, o Wigas e o Mód Ród - este último foi para mim o melhor guarda redes contra quem já joguei.Penso que eram uma equipa que se caracterizava pelo bom ambiente e pela sintonia dentro de campo. Para ilustrar tudo isto, recordo que na primeira competição em que os COP participaram - uma Liga Aspirina que antecedia a 5ª Época - onde jogámos contra os HIT, eles jogaram com apenas três jogadores na 1ª parte (algo permitido nessa altura), e mesmo assim ao intervalo venciam-nos por 2-1. Apesar de sermos uma equipa nova penso que isso era revelador da qualidade e experiência deles. Nessa época viriam a ganhar a SuperLiga e a Taça de Portugal. Basicamente, foram uma das melhores equipas do HBPT, extremamente competitiva e difícil de enfrentar."
  4. HeroesInTown - UMA MARCA NO TOPO NACIONAL História? Reconhecimento? Talento? Supremacia? Todos os predicados são poucos para qualificar uma equipa tão marcante no Haxball em Portugal. Heroes In Town, uma formação criada no auge do HBPT por B0$$ e Diogo que se destacou pela sua organização, responsabilidade e qualidade haxbolística. Para além dos títulos arrecadados, os HIT conseguiram passar a imagem de uma equipa com estilo vencedor, praticando um Haxball positivo e sempre com uma harmonia tremenda entre os jogadores que se notava a cada jogada efetuada. Mas vamos por partes. No que se refere às conquistas, os dados estatísticos não mentem, ou seja, os HIT alcançaram vários triunfos de carácter oficial e oficioso. Contudo, como o que fica de significativo são as distinções nas provas oficiais, então contabilizam-se no total três títulos: 🏆 5ª época - SuperLiga 3v3 & Taça de Portugal 3v3; 🏆 1ª versão - Liga Aspirina; É verdade que esta equipa podia ter ganho mais competições a nível nacional, mas não deixa de ser apreciável os seus feitos, uma vez que, naquela época, tinham forte concorrência de formações como EC ou FAMILIA. Tratava-se de uma equipa diferente que tinha como principal alicerce os seus jogadores - para além de possuírem uma qualidade acima da média, também eram fieis e focados no projeto. E foi principalmente esta característica que acabou por diferenciar os HIT e dar-lhes um lugar de destaque na história do HBPT. De facto, os jogadores foram a bandeira do clube e não é de estranhar: B0$$, Diogo, Mód Ród, TOMAS, Cesk, roN, Wigas, Renato ou barofa dignificaram dentro das quatro linhas os Heroes In Town de uma forma brilhante. Deste modo, damos lugar a uma entrevista exclusiva com um dos dois líderes do conjunto. Uma personalidade que colocou ordem na casa quando foi preciso, implementou os seus princípios de jogo e de convivência e foi uma peça base para o sucesso global dos HIT. Sem mais demoras, passamos à conversa com o @B0$$.  Entrevistador - Primeiramente muito obrigado por teres aceito esta colaboração. Ora, os HIT sempre foram uma equipa com um elevado prestígio a nível nacional. Como antigo líder da equipa, o que pensas que vos levou a ter um reconhecimento tão significativo? Por outras palavras, qual foi o fator determinante para o vosso êxito? Considerando que neste âmbito podemos referir aspetos como o estilo de jogo, os jogadores que compunham o plantel, os êxitos coletivos ou o ambiente que imperava no vosso grupo. B0$$ - Antes de mais, obrigado pelo convite. É com muito agrado que aceito fazer esta entrevista, pois esta equipa fez parte da minha vida durante um largo período de tempo e continuará a ter sempre um espaço no meu coração. Quanto à pergunta, o que mais nos diferenciava das outras equipas era o estilo de jogo e o ambiente do grupo, para além da química da equipa ser excelente. Não tínhamos grandes executantes tecnicamente, mas conseguimos usar a nossa maturidade a nosso favor, visto que éramos das equipas com a faixa etária mais elevada, tendo em conta a idade média dos jogadores da comunidade (o que na altura fazia muita diferença). Não fazíamos treinos diários como maior parte dos miúdos das outras equipas faziam, no entanto, a equipa funcionava como um relógio. Como já disse, o ambiente da equipa era extraordinário e a maioria de nós tinha espírito competitivo, ou seja, sentíamos que a equipa estava feita para ganhar sem precisar de muito treino. Os outros jogadores gostavam de nos ver jogar e tínhamos muitos “adeptos”. Entrevistador - Perante tantos acontecimentos bem sucedidos que marcaram os HIT, o que vos levou a por fim ao projeto? Porque, na verdade, estamos a falar de uma época onde o Haxball em Portugal ainda estava com uma competitividade e atividade consideráveis. B0$$ - O projeto acabou na pior altura. Tínhamos sido campeões pela primeira (e única) vez na quinta época, destronando os EC que eram, até àquele momento, os únicos campeões que a comunidade conhecia, tendo ganho as quatro primeiras edições do campeonato HBPT. Sempre foram os nossos rivais (e de quase toda a comunidade) e o nosso objectivo principal era ganhar o campeonato, conseguimos fazê-lo depois de estar sempre na luta nas épocas anteriores. A época seguinte, coincidiu com a entrada do nosso único GR na faculdade, o que lhe tirou imenso tempo para contribuir na maior parte dos jogos. Eu próprio já andava na faculdade e tinha também o meu tempo reduzido - não consegui contribuir para a equipa nem tão pouco arranjar substituto à altura do Mód Ród, não por falta de procura, mas por falta de qualidade na comunidade. Ou seja, sem um bom GR, a equipa com pouca disponibilidade e já com o nosso objectivo principal cumprido (ganhar o campeonato), a equipa tornou-se displicente e entrou numa espiral de maus resultados o que levou à descida de divisão. O choque foi tão grande, que os jogadores não quiserem jogar na Liga de Honra, a equipa acabou e saiu pela porta pequena. Foi pena, mas foi uma história bonita que infelizmente não teve o melhor final. No entanto, não houve ressentimentos, cada um seguiu o seu caminho e quem continuou a jogar competitivamente encontrou sucesso noutras equipas. Entrevistador - Na tua sincera opinião, achas que os Heroes In Town podem estar dentro de um pódio das melhores equipas de todos os tempos em Portugal? E, em qualquer dos casos, qual seria o lugar em específico que colocavas a equipa dentro do top nacional? B0$$ - Essa pergunta não é de fácil resposta, pois não assisti aos últimos anos de competição. Contudo, devo confessar que não me parece que as equipas actuais sejam mais fortes do que nós éramos na altura. Sendo assim, vou responder à pergunta de outro ponto de vista, isto é: colocando TODAS as equipas que passaram no HBPT, na sua força máxima, a jogar numa liga, os HIT estariam certamente no pódio. O jogo está em completo declínio, por isso não dou muito valor a conquistas recentes. Não dou valor aos "Reis das Cinzas". Entrevistador - Outro vinco distintivo da equipa foi o facto de manterem um núcleo duro de jogadores que sempre tiveram de corpo e alma com os ideais da equipa. Falo nomeadamente de Diogo, Mód Ród, Tomás ou tu próprio. Como é que conseguiram manter esta característica que unia os membros da equipa? B0$$ - Essa sempre foi uma característica de que nos orgulhamos. Como já disse anteriormente, a nossa equipa era composta maioritariamente por malta mais velha, tendo em conta a média de idades da comunidade. Para teres uma ideia, entrar nos HIT era quase impossível. Não queríamos encher a equipa com miúdos, saltitões ou vedetas, que certamente só viriam estragar o fantástico ambiente que se vivia na equipa. A equipa foi escolhida a dedo e depois de formar o núcleo não houveram alterações. Sempre tivemos os 7 fantásticos: Eu, Diogo, roN, Mód Ród, Wigas, TOMAS e Renato. A estes juntaram-se em tempos diferentes o GG, o Cesk e o génio Barofa. Foram estes os jogadores que contribuíram para o sucesso dos HIT ao longo do seu período activo. A eles agradeço tudo o que fizeram por esta equipa! Entrevistador - Imaginemos que o Haxball em Portugal volta aos seus teus áureos e que alguns dos antigos constituintes da equipa conseguiam arranjar um tempo extra para se tornarem efetivamente ativos no jogo. Mesmo assim, seria credível um possível regresso? B0$$ - O regresso já aconteceu, em 2014. Apenas comigo e com o TOMAS como membros originais, conseguimos arranjar um plantel interessante e pessoalmente estava bastante motivado para relançar o nosso nome. Infelizmente, poucas semanas após anunciar o regresso, eu fiquei impossibilitado de jogar por motivos profissionais. O TOMAS fez tudo ao seu alcance para manter a equipa, mas a única coisa semelhante com a equipa de outrora era o nome. O projeto do regresso durou tão pouco tempo, que maior parte das pessoas não se lembra dele... acho que apenas jogamos uma ou duas épocas. Depois dessa má experiência penso que jamais se voltarão a recriar os HIT. Em primeiro lugar porque apenas dois jogadores continuam a jogar Haxball, em segundo lugar porque não mantenho contacto com quase nenhum dos jogadores, e por último, porque prefiro deixar essa parte da minha vida para trás, guardando apenas os bons momentos e as boas recordações do tempo em que o Haxball era Haxball. Para já, estou envolvido no projecto dos FZ, do qual apenas faço parte devido às pessoas que lá estão, mas garanto que esta será certamente a minha última equipa. Com isto me despeço, agradecendo mais uma vez o convite. Agradeço também o teu trabalho, empenho e dedicação a tentar trazer de volta o Jornal HBPT e alguma motivação extra para este jogo parar de morrer aos poucos. Um abraço! HIT HIT HIT Como é que os adversários olhavam para os HIT? @SUP3R7UG4 - "Eram um adversário com imensa qualidade... uma química notável. Contudo, acho que dependiam muito do que o Mód Ród podia ou não fazer. Para mim, quando estavam na plenitude dos seus recursos, eram a melhor equipa em termos de qualidade de jogo. Aliás, eles e os FAMILIA, praticaram o melhor Haxball já visto em Portugal. Infelizmente, para os HIT, depois pecavam um pouco na finalização, o que lhes custou alguns títulos coletivos." @Pablo Aimar - "Quando os COP entraram no HBPT (pouco antes da 5ª Época), os HIT já eram uma equipa consolidada e que lutava pela conquista das competições. Sendo uma equipa que já jogava desde a primeira época, naturalmente que eram das melhores equipas da altura e tinham um plantel com grandes jogadores, dos quais destaco o B0$$, o Renato, o Barofa, o Wigas e o Mód Ród - este último foi para mim o melhor guarda redes contra quem já joguei.Penso que eram uma equipa que se caracterizava pelo bom ambiente e pela sintonia dentro de campo. Para ilustrar tudo isto, recordo que na primeira competição em que os COP participaram - uma Liga Aspirina que antecedia a 5ª Época - onde jogámos contra os HIT, eles jogaram com apenas três jogadores na 1ª parte (algo permitido nessa altura), e mesmo assim ao intervalo venciam-nos por 2-1. Apesar de sermos uma equipa nova penso que isso era revelador da qualidade e experiência deles. Nessa época viriam a ganhar a SuperLiga e a Taça de Portugal. Basicamente, foram uma das melhores equipas do HBPT, extremamente competitiva e difícil de enfrentar." Veja ompleto
  5. Neve.

    Memes do Haxball

    Só faltavas aqui tu para o tópico ficar completo.
  6. Os jogadores envolvidos no artigo foram os que se encontraram ativos durante a semana em que o mesmo foi lançado. Posto isto, quero realçar que, até dia 5 de Agosto, tentei contactar com os mais diversos jogadores que queriam (ou que podiam tencionar) ingressar numa equipa. Vários nomes foram abordados e por algumas circunstâncias alguns não puderam aparecer no texto... provavelmente não foste abordado por não te ter encontrado online no período referido.
  7. Neve.

    Não consigo entrar em qualquer TS

    Eu tenho o mesmo problema. Atualizei hoje o ts3 e não consigo entrar em alguns IP's. Por exemplo, não consigo entrar no do HBPT, mas já consigo aceder ao voice.pt.
  8. Um olhar sobre o mercado 👁️‍🗨️ Numa época de mudanças, muitos são os jogadores que procuram definir a sua carreira haxbolítica, existindo algumas equipas dispostas a receber um ou outro reforço para completar o seu plantel. Neste artigo, procuramos dar voz a figuras que anseiam por uma oportunidade de mostrarem o que valem e, por outro lado, revelar o lado das equipas que ainda podem estar a ultimar os seus conjuntos. Comecemos então pelo lado dos jogadores. Muitos dos que agora procuram um abrigo são pessoas que já conhecem o jogo como a palma das suas mãos. Para além de possuírem anos de experiência no Haxball, também estão por dentro de tudo o que envolve o HBPT. Portanto, podemos inferir que todos eles acabam por se conseguir encaixar em qualquer projeto, desempenhando o sua posição de uma forma competente e com qualidade. De seguida apresentamos os nomes que andam à procura de equipa na comunidade, deixando alguns traços de cada um. Big 3v3 & 4v4 @ZeroRullz Posição Preferencial: A minha verdadeira posição é GK, mas quando iniciei ocupava posições mais avançadas (DM e AM). Antigas Equipas: ZHC u21, E!, J4O, BO, ZHC, PRO, EA. Características Individuais: Visão de jogo; Spam; Segurança entre os postes; Um dos meus maiores defeitos foi a antecipação, mas com o tempo começou a ser cada vez menos um problema, porque com os erros um jogador aprende e começa a ser mais fácil ler todas as componentes do jogo; O que pode acrescentar: Tenho 5 anos de Haxball e sempre fui um jogador mediano com o intuito de chegar à seleção. Contudo, ao longo do tempo, a vontade de jogar foi indo em vão e não consegui chegar a esse objetivo. Agora voltei com o objetivo de jogar pela diversão, mas ao mesmo tempo voltar a ganhar a vontade com aquele cheirinho competitivo na comunidade. Acho que posso acrescentar qualidade. @Bluzzer Posição Preferencial: A minha posição preferencial é AM, embora também possa jogar a ST. Antigas Equipas: LT, TT ac, TP e SPURS. Características Individuais: Julgo que me posiciono bem na defesa, sendo um jogador seguro e que não inventa muito no aspecto mais ofensivo; Não tendo se calhar a skill necessária para me tornar preponderante ao nível individual, sou um jogador que facilmente se adapta à equipa e joga bem coletivamente; Aposto mais na inteligência do que na qualidade, embora, como é óbvio, pretenda melhorar neste último aspeto; O que pode acrescentar: Posso aqui assegurar que levarei um bom ambiente para a equipa onde me irei inserir. O meu espírito de convívio aliado à minha boa disposição, lealdade e humildade vai trazer um excelente convívio. Estou no Haxball, ou nesta comunidade, para me divertir acima de tudo. Por fim, no que diz respeito ao meu empenho/evolução, confesso que eu não gosto de perder, nem de ficar para trás. Adoro um bom jogo de Haxball, em que no fim possamos dizer que saímos gratos por o ter jogado. Pessoalmente, quero evoluir e podem ficar descansados que nesse aspecto vão ter alguém na vossa equipa que dia após dia vive para se superar. Superar a nível pessoal e conquistar a nível colectivo. Confiem em mim, porque eu posso certamente ser uma excelente surpresa, pela positiva! @windo Posição Preferencial: Posso ocupar todas as posições que me pedirem com alguma consistência, mas sinto-me mais confiante a AM e a ST. Antigas Equipas: TBT, k1nG aC, CABJ, ETA HC, BTL, AC, LON, ShL, IF e COP B. Características Individuais: Considero-me um jogador que trabalha o jogo em equipa, ou seja, não penso muito em individualidades, mas sim no conjunto; Em relação aos spam's não é muito o meu ponto forte, mas quando me concentro até consigo ganhar alguns; Dentro das quatro linhas tento concentrar-me bastante para não cometer erros fatais; O que pode acrescentar: Neste momento estou como um jogador livre, mas gostaria muito de fazer parte de uma equipa (atualmente parece ser impossível). Por fim, refiro que posso não parecer um excelente jogador, mas penso que ainda terei algo para mostrar! @fun. Posição Preferencial: Unicamente AM. Antigas Equipas: THC, BTL e uK. Características Individuais: Bom defensivamente; Um finalizador; Tenho noção de jogo; O que pode acrescentar: Considero-me um jogador que ainda precisa de algum desenvolvimento a nível técnico. Costumo socializar bem com os colegas de equipa, sendo conhecido por "Éder branco"! Real Soccer & Futsal @Haderslev Posição Preferencial: AM/ST, sendo que também posso ser uma solução válida para as restantes posições. Antigas Equipas: El Tigres (ET). Características Individuais: Bom sentido posicional; Compreensão do jogo (acima da média); Polivalência (tenho capacidades para desempenhar as quatro posições sem que se note uma grande diferença ao nível de performance). O que pode acrescentar: Posso adicionar experiência (jogo o mapa - apesar de algumas interrupções - há cerca de 4 anos), profundidade e qualidade a uma equipa. Isto é: se estivermos a falar de uma equipa de maior gabarito, sou um bom back up para qualquer posição; por outro lado, se estivermos a falar de equipas de menor qualidade, sou um jogador que poderá ser importante e trazer competitividade ao quatro inicial. Para além disso, acrescento seriedade, respeito e o meu característico bom humor às equipas! @rαρнαel Posição Preferencial: GK (tanto em RS como em Futsal), mas também posso dar uma mãozinha na frente. Antigas Equipas: Os Míticos (oM), El Tigres (ET) e Black Hawks Team (BHT). Características Individuais: Divertido - não gosto de criar mau ambiente nem discussões; Sou responsável e tento dar o máximo pela equipa que represento; Acima de tudo, esforço-me para progredir tanto a nível individual como coletivo; O que pode acrescentar: Companheirismo, tanto dentro como fora de campo. Acho que posso acrescentar um ambiente pacato e amigável. @Maradona - "Sendo sincero, voltar a jogar nas competições do HBPT é algo incerto. Torna-se complicado retomar as rotinas que os jogos oficiais exigem devido ao trabalho que encargo atualmente. Apesar de agora, nas férias, ter vindo cá matar saudades, devo dizer que não terei muito tempo para jogar. Contudo, confesso que despertou novamente o bichinho... quem sabe se talvez volte realmente ao jogo. Tudo depende do tempo e de alguns dos jogadores com quem mais me identifico me convidarem para uma das suas equipas." @Layzan - "Em primeiro lugar gostava de contextualizar o meu trajeto no HBPT e a situação em que me encontro. No início, o meunickname era Zart, numa fase em que ainda era um pouco imaturo. Certamente que algumas pessoas devem-se lembrar deste nome. No entanto, quando ingressei nos TT (em 2016/2017) mude meu nick para Layzan. O que me levaria a voltar ao Haxball seria mesmo se os TikiTaka voltassem a 100% focados no jogo e com todos os jogadores motivados para ganhar, porque desde que os TT foram criados, o núcleo duro de 7/8 membros manteve-se até ao fim. Devo dizer que ganhei muitas rotinas nos TT e que agora só me revia a regressar naquele projeto... éramos uma equipa diferente, com processos simples, passes rápidos e métodos firmes. Por isso digo que habituar-me a outro estilo de jogo mais à base de jogadas elaboradas ou até de estilos ultra defensivos seria complicado. Concluindo, voltar será sempre uma incógnita e depende de diversos fatores". @Mankey - "Penso que voltar às competições HBPT será sempre uma opção no papel. Porém, à medida que o tempo passou, fui adquirindo mais responsabilidades que tornam difícil realizar o compromisso de aparecer a treinos e jogos de uma forma regular... já para não falar que o nível de habilidade foi decrescendo. Apesar disso, o Haxball sempre foi um jogo que me cativou bastante devido à sua simplicidade e diversão que proporciona. Estou certo que jogar competitivamente seria mais complicado agora, mas não é de todo uma porta fechada." Dando agora especial atenção às equipas do HBPT, a redação do Jornal decidiu aprofundar a estabilidade das formações, indo ao fundo da questão, isto é, 'Será que os planteis estão fechados?'. Após algumas investigações, averiguámos que muitas das equipas têm os seus conjuntos definidos e... não é de estranhar! Com o decorrer da liga Aspirina, as equipas encontram-se mais preocupadas em manter o seu plantel coeso e focado numa competição tão especial como esta é, do que com eventuais reforços. Todavia, conseguimos apurar que as equipas recém-formadas são as que ainda admitem receber uma ou outra cara nova de modo a preencher por completo as suas formações. Já as equipas com mais história apenas considerariam aceitar algum membro caso se tratasse de um nome consolidado no panorama do HBPT, ou seja, uma figura que tenha deixado a sua marca, bom tecnicamente e que se adapte perfeitamente ao modo de jogar das equipas em questão - obviamente que falamos de casos raros e específicos. De referir que, no final da Aspirina, é de crer que possam surgir novidades com a eventual chegada de novas equipas e algumas transações, não só nos jogadores que hoje se encontram livres, como também para aqueles que já possuam uma formação, mas que pretendam mudar para outro projeto devido a diversos fatores (maus resultados, mau ambiente, monotonia extrema, necessidade de um novo estímulo, entre outros). Com isto, o Jornal HBPT acredita que: no futuro irá existir uma conjugação de fatores que fará com que os jogadores livres ocupem o seu devido espaço numa equipa, que existiam alguns regressos e que existam novidades ao nível dos planteis. Aliás, o HBPT sempre apresentou um mercado dinâmico que faz com que todos tenham de estar atentos a possíveis mexidas nos planteis. Trata-se de um processo saudável e que lança constantemente um desafio estimulante aos membros da comunidade!
  9. Um olhar sobre o mercado 👁️‍🗨️ Numa época de mudanças, muitos são os jogadores que procuram definir a sua carreira haxbolítica, existindo algumas equipas dispostas a receber um ou outro reforço para completar o seu plantel. Neste artigo, procuramos dar voz a figuras que anseiam por uma oportunidade de mostrarem o que valem e, por outro lado, revelar o lado das equipas que ainda podem estar a ultimar os seus conjuntos. Comecemos então pelo lado dos jogadores. Muitos dos que agora procuram um abrigo são pessoas que já conhecem o jogo como a palma das suas mãos. Para além de possuírem anos de experiência no Haxball, também estão por dentro de tudo o que envolve o HBPT. Portanto, podemos inferir que todos eles acabam por se conseguir encaixar em qualquer projeto, desempenhando o sua posição de uma forma competente e com qualidade. De seguida apresentamos os nomes que andam à procura de equipa na comunidade, deixando alguns traços de cada um. Big 3v3 & 4v4 @ZeroRullz Posição Preferencial: A minha verdadeira posição é GK, mas quando iniciei ocupava posições mais avançadas (DM e AM). Antigas Equipas: ZHC u21, E!, J4O, BO, ZHC, PRO, EA. Características Individuais: Visão de jogo; Spam; Segurança entre os postes; Um dos meus maiores defeitos foi a antecipação, mas com o tempo começou a ser cada vez menos um problema, porque com os erros um jogador aprende e começa a ser mais fácil ler todas as componentes do jogo; O que pode acrescentar: Tenho 5 anos de Haxball e sempre fui um jogador mediano com o intuito de chegar à seleção. Contudo, ao longo do tempo, a vontade de jogar foi indo em vão e não consegui chegar a esse objetivo. Agora voltei com o objetivo de jogar pela diversão, mas ao mesmo tempo voltar a ganhar a vontade com aquele cheirinho competitivo na comunidade. Acho que posso acrescentar qualidade. @Bluzzer Posição Preferencial: A minha posição preferencial é AM, embora também possa jogar a ST. Antigas Equipas: LT, TT ac, TP e SPURS. Características Individuais: Julgo que me posiciono bem na defesa, sendo um jogador seguro e que não inventa muito no aspecto mais ofensivo; Não tendo se calhar a skill necessária para me tornar preponderante ao nível individual, sou um jogador que facilmente se adapta à equipa e joga bem coletivamente; Aposto mais na inteligência do que na qualidade, embora, como é óbvio, pretenda melhorar neste último aspeto; O que pode acrescentar: Posso aqui assegurar que levarei um bom ambiente para a equipa onde me irei inserir. O meu espírito de convívio aliado à minha boa disposição, lealdade e humildade vai trazer um excelente convívio. Estou no Haxball, ou nesta comunidade, para me divertir acima de tudo. Por fim, no que diz respeito ao meu empenho/evolução, confesso que eu não gosto de perder, nem de ficar para trás. Adoro um bom jogo de Haxball, em que no fim possamos dizer que saímos gratos por o ter jogado. Pessoalmente, quero evoluir e podem ficar descansados que nesse aspecto vão ter alguém na vossa equipa que dia após dia vive para se superar. Superar a nível pessoal e conquistar a nível colectivo. Confiem em mim, porque eu posso certamente ser uma excelente surpresa, pela positiva! @windo Posição Preferencial: Posso ocupar todas as posições que me pedirem com alguma consistência, mas sinto-me mais confiante a AM e a ST. Antigas Equipas: TBT, k1nG aC, CABJ, ETA HC, BTL, AC, LON, ShL, IF e COP B. Características Individuais: Considero-me um jogador que trabalha o jogo em equipa, ou seja, não penso muito em individualidades, mas sim no conjunto; Em relação aos spam's não é muito o meu ponto forte, mas quando me concentro até consigo ganhar alguns; Dentro das quatro linhas tento concentrar-me bastante para não cometer erros fatais; O que pode acrescentar: Neste momento estou como um jogador livre, mas gostaria muito de fazer parte de uma equipa (atualmente parece ser impossível). Por fim, refiro que posso não parecer um excelente jogador, mas penso que ainda terei algo para mostrar! @fun. Posição Preferencial: Unicamente AM. Antigas Equipas: THC, BTL e uK. Características Individuais: Bom defensivamente; Um finalizador; Tenho noção de jogo; O que pode acrescentar: Considero-me um jogador que ainda precisa de algum desenvolvimento a nível técnico. Costumo socializar bem com os colegas de equipa, sendo conhecido por "Éder branco"! Real Soccer & Futsal @Haderslev Posição Preferencial: AM/ST, sendo que também posso ser uma solução válida para as restantes posições. Antigas Equipas: El Tigres (ET). Características Individuais: Bom sentido posicional; Compreensão do jogo (acima da média); Polivalência (tenho capacidades para desempenhar as quatro posições sem que se note uma grande diferença ao nível de performance). O que pode acrescentar: Posso adicionar experiência (jogo o mapa - apesar de algumas interrupções - há cerca de 4 anos), profundidade e qualidade a uma equipa. Isto é: se estivermos a falar de uma equipa de maior gabarito, sou um bom back up para qualquer posição; por outro lado, se estivermos a falar de equipas de menor qualidade, sou um jogador que poderá ser importante e trazer competitividade ao quatro inicial. Para além disso, acrescento seriedade, respeito e o meu característico bom humor às equipas! @rαρнαel Posição Preferencial: GK (tanto em RS como em Futsal), mas também posso dar uma mãozinha na frente. Antigas Equipas: Os Míticos (oM), El Tigres (ET) e Black Hawks Team (BHT). Características Individuais: Divertido - não gosto de criar mau ambiente nem discussões; Sou responsável e tento dar o máximo pela equipa que represento; Acima de tudo, esforço-me para progredir tanto a nível individual como coletivo; O que pode acrescentar: Companheirismo, tanto dentro como fora de campo. Acho que posso acrescentar um ambiente pacato e amigável. @Maradona - "Sendo sincero, voltar a jogar nas competições do HBPT é algo incerto. Torna-se complicado retomar as rotinas que os jogos oficiais exigem devido ao trabalho que encargo atualmente. Apesar de agora, nas férias, ter vindo cá matar saudades, devo dizer que não terei muito tempo para jogar. Contudo, confesso que despertou novamente o bichinho... quem sabe se talvez volte realmente ao jogo. Tudo depende do tempo e de alguns dos jogadores com quem mais me identifico me convidarem para uma das suas equipas." @Layzan - "Em primeiro lugar gostava de contextualizar o meu trajeto no HBPT e a situação em que me encontro. No início, o meunickname era Zart, numa fase em que ainda era um pouco imaturo. Certamente que algumas pessoas devem-se lembrar deste nome. No entanto, quando ingressei nos TT (em 2016/2017) mude meu nick para Layzan. O que me levaria a voltar ao Haxball seria mesmo se os TikiTaka voltassem a 100% focados no jogo e com todos os jogadores motivados para ganhar, porque desde que os TT foram criados, o núcleo duro de 7/8 membros manteve-se até ao fim. Devo dizer que ganhei muitas rotinas nos TT e que agora só me revia a regressar naquele projeto... éramos uma equipa diferente, com processos simples, passes rápidos e métodos firmes. Por isso digo que habituar-me a outro estilo de jogo mais à base de jogadas elaboradas ou até de estilos ultra defensivos seria complicado. Concluindo, voltar será sempre uma incógnita e depende de diversos fatores". @Mankey - "Penso que voltar às competições HBPT será sempre uma opção no papel. Porém, à medida que o tempo passou, fui adquirindo mais responsabilidades que tornam difícil realizar o compromisso de aparecer a treinos e jogos de uma forma regular... já para não falar que o nível de habilidade foi decrescendo. Apesar disso, o Haxball sempre foi um jogo que me cativou bastante devido à sua simplicidade e diversão que proporciona. Estou certo que jogar competitivamente seria mais complicado agora, mas não é de todo uma porta fechada." Dando agora especial atenção às equipas do HBPT, a redação do Jornal decidiu aprofundar a estabilidade das formações, indo ao fundo da questão, isto é, 'Será que os planteis estão fechados?'. Após algumas investigações, averiguámos que muitas das equipas têm os seus conjuntos definidos e... não é de estranhar! Com o decorrer da liga Aspirina, as equipas encontram-se mais preocupadas em manter o seu plantel coeso e focado numa competição tão especial como esta é, do que com eventuais reforços. Todavia, conseguimos apurar que as equipas recém-formadas são as que ainda admitem receber uma ou outra cara nova de modo a preencher por completo as suas formações. Já as equipas com mais história apenas considerariam aceitar algum membro caso se tratasse de um nome consolidado no panorama do HBPT, ou seja, uma figura que tenha deixado a sua marca, bom tecnicamente e que se adapte perfeitamente ao modo de jogar das equipas em questão - obviamente que falamos de casos raros e específicos. De referir que, no final da Aspirina, é de crer que possam surgir novidades com a eventual chegada de novas equipas e algumas transações, não só nos jogadores que hoje se encontram livres, como também para aqueles que já possuam uma formação, mas que pretendam mudar para outro projeto devido a diversos fatores (maus resultados, mau ambiente, monotonia extrema, necessidade de um novo estímulo, entre outros). Com isto, o Jornal HBPT acredita que: no futuro irá existir uma conjugação de fatores que fará com que os jogadores livres ocupem o seu devido espaço numa equipa, que existiam alguns regressos e que existam novidades ao nível dos planteis. Aliás, o HBPT sempre apresentou um mercado dinâmico que faz com que todos tenham de estar atentos a possíveis mexidas nos planteis. Trata-se de um processo saudável e que lança constantemente um desafio estimulante aos membros da comunidade! Veja ompleto
  10. De destacar que, na sua maioria, são pessoas que ou já não jogam ou apenas vêm de vez em quando para desestabilizar. Tudo bem que tenham o vosso grupo de amigos virtuais, mas terem estas atitudes não ajuda em nada para o prestígio de Portugal lá fora. Já disse e volto a repetir, existem zonas próprias para o recreio. Deviam ponderar as vossas atitudes, porque se já não jogam é porque o Haxball não vos diz nada... então não façam este tipo de 'figuras'.
  11. Neve.

    HBPT - Liga Haxball Futsal#1

    Resultado da 1ª Jornada: VGH 3-2 LAFC Rec: http://thehax.pl/forum/powtorki.php?nagranie=f17a1ec6e59199ac390eb1fb5df4a9dd Jogaram: worldtour, Isco, VFC e Neve. Marcaram: Isco (2x) e VFC.
  12. Tu é que escreveste na secção de comentários... quando não existe indicação em contrário (não disseste que estavas a falar no geral) e quando teces uma opinião sobre um assunto que até é abordado no texto, temos que considerar que te estás a referir a alguma parte do artigo. Mas, deixo-te aqui alguns sítios onde podes expressar o teu ponto de vista sobre esse tema: Abraço.
  13. Ninguém afirmou isso. Apenas foi colocada uma pergunta final para o aitor nos transmitir o seu ponto de vista sobre algo que tem estado na rotina do HBPT. Aliás, o aitor até foi contra a oficialização destes modos de jogo 'recentes'.
  14. No passeio da fama com @aitor Sempre foste considerado um jogador bastante versátil, uma vez que desempenhas qualquer posição com rigor e qualidade. Na tua opinião, qual é o lugar dentro de campo que podes render mais? A minha carreira no Haxball tem-se feito por épocas. Primeiramente, quando comecei a jogar, desempenhava a posição de médio (AM), mas ainda era fraco. Depois, comecei a jogar GK e foi onde mais êxito consegui, já que até nalguns meses estive a jogar nessa posição regularmente e com muitos bons resultados em geral. Também houve uma época em que trocava as posições de GK e ST (quando ainda jogávamos em flash), onde achei surpreendente a minha prestação pelos grandes golos que conseguia marcar. Agora, como terás visto, estou a jogar na posição de trinco (DM), onde acabo por sentir-me confortável. Em suma, acho que atualmente é a trinco onde melhor consigo mostrar-me, já que sinto-me aborrecido quando jogo de GK e também não tenho muitas possibilidades de jogar a ST, porque já temos vários jogadores nessa posição (neste caso refiro-me aos Blue Panthers na FeedMe). Mas sim, respondendo diretamente a tua pergunta, comecei a jogar a trinco regularmente no começo de ano e acho que cada vez estou melhor, pelo que não tenho em mente voltar a trocar a posição a médio/curto prazo. Quais são os teus objetivos no Haxball a curto e médio prazo? Hoje tenho os Blue Panthers a jogar na FeedMe, onde o nosso objetivo é ascender à 1ª divisão. Contudo, penso que esta época não vai resultar pela época de férias da maioria dos meus jogadores (eu inclusive). Tenho mais esperanças nos COP, equipa pela qual fui inscrito para a atual época. Assim, o meu objetivo a curto prazo é ganhar a Liga Aspirina com eles, mas há grandes equipas como os SW, EA e FSK que irão por-nos as coisas muito difíceis. Recentemente também comecei a trabalhar para o HBPT num processo de "reestruturação", onde acho que ainda posso ajudar a manter uma comunidade estável. Também diga-se que não sou uma pessoa com grandes objetivos dentro do Haxball, já que o mais importante é participar e fazer amigos! Tens algum jogador em que te revejas dentro da comunidade? E, por outro lado, achas que, em termos haxbolísticos e comportamentais, és um exemplo para os novos membros? Para ser honesto, quando cheguei ainda existia a comunidade espanhola, e eu naturalmente observava mais os jogadores espanhóis. Mesmo assim, sempre adorei a forma de jogar do @Big7Up. É um trinco que desde a minha chegada aos FC confiou muito em mim, sentia-me muito confortável e seguro na defesa, para além de que ofensivamente também se destacou muito. Ainda hoje, quando jogo com ele, sinto-me confortável mesmo quando não jogamos juntos por alguns meses. É um jogador cinco estrelas que por estranhas circunstâncias não conseguiu/não quis brilhar nas comunidades europeias. Respondendo à outra questão, não acho que eu seja um exemplo para os jogadores mais novos. Passo a explicar: os jogadores recentes que conseguem equipas tem de ser educados pelos seus capitães, mesmo que não tenham muita qualidade. O que é verdadeiramente importante no começo não é a qualidade, mas sim o saber estar e a integração. Para mim, os capitães têm muita importância, mais do que os grandes jogadores têm, uma vez que podes ser um grande jogador e ser um "atrasado mental"... acho que não irias gostar ser comparado com alguém assim, como é óbvio. Neste seguimento impõe-se uma questão, ou seja, quem foi o jogador mais completo que passou pelo HBPT? E porquê? Eu estou inserido no HBPT à sensivelmente 2 anos. Sempre pensei que um dos jogadores mais completos era e é o @Ter. Atualmente ele brinca muito, mas quando ele joga de verdade é uma máquina. Posso até mesmo admitir nesta entrevista que ele é o meu pesadelo no Haxball. Não interessa a posição que ele esteja a ocupar dentro de campo, porque, se ele jogar a sério, domina qualquer jogo. Um aspeto inegável é o facto de seres dos jogadores mais experientes que ainda está ativo na comunidade. Para ti, quais são os predicados que uma equipa necessita de ter para ser forte e competente ao nível do jogo? O que aconselhas, por exemplo, às equipas recém criadas para terem estabilidade, durabilidade e qualidade no Haxball em Portugal? Posso falar desde a minha experiência nos Blue Panthers da FeedMe, onde sou o capitão. Acho imprescindíveis dois aspetos, ou seja: O primeiro é reconhecer e admitir o teu próprio nível. Isto está diretamente relacionado com jogadores underrated ou overrated, visto que já temos visto muitas vezes pessoas que foram chamados underrated e depois não conseguiram melhorar muito mais (ex: O @Berg à algum tempo atrás foi chamado underrated, entre outras coisas... e sim, ele neste tempo jogava comigo nos FC e fazíamos grandes jogos. Mas na altura em que pensas do género "afinal sou melhor do que pensava", é quando começas a baixar o teu rendimento. De referir que ele também está na minha equipa da FeedMe e, como tal, conheço-o à muito tempo, conseguindo visualizar essa diferença entre o "Berg de 2017" e o "Berg de 2018"). O segundo é, obviamente, ter um bom convívio. Falando do caso da minha equipa, ela caracteriza-se por possuir um fantástico ambiente, cheio de pessoas que jogam juntos à mais de um ano (o que faz que haja muita confiança entre os jogadores e os capitães, sem níveis de toxicidade dentro da equipa). Jogas mais calmo, desfrutas melhor dentro das quatro linhas e quando há problemas não há rage, porque podem-se falar dos assuntos sem qualquer entrave. Acho que somos uma das poucas equipas que apenas trocou os seus jogadores passado mais de um ano - depois também estão os Blue Panthers (BP) do HBPT, onde também conseguiram manter o leque de jogadores e alcançar um elevado rendimento. Dando agora especial relevo às equipas. Qual é a melhor equipa em que já estiveste? E qual consideras a melhor equipa no ativo? Se falarmos em termos europeus, a melhor equipa que já estive foram os IFK, que continham jogadores como ANDREÀ, Yawn, gado, naho, Barca, entre outros. Foram grandes tempos, com grandíssimos jogadores, onde desfrutei bastante, dado que a equipa cumpria as duas alíneas que escrevi na pergunta anterior. To be honest, se eu não me sentir confortável numa equipa, é porque a equipa não consegue reunir esses dois requisitos. No que diz respeito ao HBPT, sem dúvida que a melhor equipa que joguei foram os FC. Desde o início que consegui ter uma boa relação com o @rg! (a qual ainda mantenho, felizmente)... ele ajudou-me imenso a evoluir tanto no haxball como enquanto pessoa. Por outro lado, eu tinha total liberdade para falar e até chegamos a criar um dos melhores convívios que já tive na comunidade. Depois, ainda tivemos a felicidade de conseguimos lutar por grandes coisas. Mas, não podia deixar de dar uma menção especial a pessoas bastante especiais, como o @rg!, @UbderSoul, @Pablo Aimar @Big7Up, @SNK- e @Berg por tudo o que me proporcionaram. Já no que se refere à melhor equipa no ativo, considero que os EA são a que se destaca mais, já que estão à muito tempo com grandes jogadores e a lutar pelos campeonatos. Acho que a chegada do @wassup foi a chave para eles terem ganho o triplete (4v4, 3v3 e taça). Todavia, a sua saída vai ajudar muito outra equipa da qual estou seguro que se vai destacar nos próximos tempos, isto é, os SW. Hoje em dia, o STAFF está a trabalhar para trazer mais atividade à comunidade, tentando aliar pessoas novas e algumas caras bem conhecidas. Pensas que, em pouco tempo, teremos capacidade para ter mais equipas, gerando mais ligas/divisões? Vou-te responder como moderador. É certo que estamos a trabalhar para tentar manter o maior número de equipas possíveis, mas, sendo verão e tendo em conta os tempos que correm no Haxball em geral, parece um pouco difícil arranjar novas equipas que sejam estáveis. A regra é que as novas equipas não têm paciência para aturar algumas situações, e as equipas com jogadores que voltam depois dum tempo sem jogar não costumam aguentar muito, pelo que avançar torna-se complicado. O STAFF atual já trabalhou em conjunto na criação deste forum em fevereiro de 2017. Tenho plena confiança neles. Mas, quero que todos saibam que apesar dos tempos que correm, lutaremos até o final para que todas as equipas/jogadores possam usufruir do espaço sem nenhum problema! É para isso que iremos trabalhar nos próximos tempos. A conjugação comunidade portuguesa e estrangeiros nem sempre foi um processo fácil. Contudo, penso que concordamos que é sempre bom para o HBPT poder contar com algumas equipas estrangeiras (em particular aquelas que entendam a nossa língua, como as espanholas). Achas que podia-se fazer um trabalho melhor no acolhimento das equipas extra-portuguesas, tentando não só convidá-las como depois integrá-las bem na comunidade? A meu ver, ter equipas estrangeiras é sempre um problema para a comunidade. Ainda hoje temos uma ou outra equipa que não costuma jogar contra equipas estrangeiras e, pelo facto deles serem estrangeiros, tentam tirar partido disso. Eu já vivi esta situação (não só no meu começo), e atrevia-me a dizer que atualmente estas situações ainda acontecem. Embora estas equipas estrangeiras sejam na sua maioria espanholas, não deixa de ser verdade que vão ter os mesmos problemas que outras equipas estrangeiras não espanholas... isso relaciona-se também com a educação destas equipas/jogadores portugueses. Eu pessoalmente estou a favor de ter equipas estrangeiras, desde que estas sejam responsáveis e realmente estejam interessadas em participar (o que não como aconteceu na última época onde tivemos algumas equipas estrangeiras que só chegaram a fazer um jogo). É esse o problema, ou seja, se chegar uma equipa estrangeira não responsável, vai estragar a competição. Se a equipa estrangeira é responsável, as outras equipas portuguesas vão tentar encontrar vantagens contra eles. Concluindo, vão haver sempre problemas, pelo que, apesar de eu estar a favor de ter equipas estrangeiras, não acho que seja a melhor ideia tê-las. Ultimamente tem-se olhado com particular destaque para outros formatos de jogo, existindo já algumas iniciativas de competições amigáveis (RS e Futsal). Pensas que estes modos de jogo, com ligas ativas, podem trazer mais vida à comunidade ou seriam apenas 'mais um competição'? Este era um assunto que já queria falar há muito tempo, mas até agora não consegui ter tempo. Basicamente, eu pretendia escrever um artigo sobre isto, visto que há muitas coisas que o pessoal não consegue perceber. Assim, não quero alongar-me muito nesta matéria, porque depois irei escrever esse tal artigo. Mas, posso dizer que discordo totalmente com a criação de competições deste tipo. Por exemplo, na última época tínhamos três modos de jogo: Big 4v4, Big 3v3 e Taça 4v4. Em nenhuma destas competições se respeitaram as datas estabelecidas. Agora queremos é meter RS, Futsal, 1v1, 2v2, etc. A questão é: se as equipas/jogadores já demonstraram não ter tempo para cumprir os prazos de três competições (tendo tempo de sobra para fazer os jogos), como é que vamos conseguir fazer cinco ou seis competições? Alguém pode vir a dizer que para trazer jogadores novos temos que criar competições de Futsal e de Real Soccer, mas é óbvio que a maioria das equipas e jogadores inscritas nessas competições vão ser equipas já criadas anteriormente ou jogadores ativos da comunidade. Então, o que vai acontecer? Simples, as equipas vão começar a desistir lentamente das competições, e haverão mais problemas dos que houveram na última época. E isto não sou só eu que penso... há pessoas que como têm tempo para jogar no verão, querem jogar tudo o que seja possível. Contudo, em setembro/outubro, com o começo das aulas, já se desiste muito facilmente. Depois, já não interessa se a minha equipa é afetada, nem se as competições são danificadas por isto. O ponto em que quero chegar é que quando o pessoal tem tempo quer fazer de tudo, mas estas pessoas que estão a tentar jogar de tudo, depois deixam de fazê-lo... então não vejo grande interesse em investir numa coisa que me parece momentânea. Falo deste tema tanto enquanto jogador como enquanto moderador. Obviamente que a minha palavra isolada vale zero, uma vez que estas coisas são discutidas entre todos os membros do STAFF. Para finalizar, como tens visto o trabalho da equipa do Jornal HBPT? Achas que tem dinamizado a comunidade? Sendo muito sincero, adoro o Jornal HBPT! Faz muito tempo que não me recordo de um trabalho tão bem feito. Espero que não desistam disto, porque há muito pessoal que adora ler os vossos artigos, e estou seguro de que se vocês souberem orientar bem o vosso tempo livre, podem fazer grandes coisas ainda no HBPT. Os meus parabéns pelo que conseguiram até agora e continuem por este bom caminho! Um especial agradecimento ao @Modrić
  15. No passeio da fama com @aitor Sempre foste considerado um jogador bastante versátil, uma vez que desempenhas qualquer posição com rigor e qualidade. Na tua opinião, qual é o lugar dentro de campo que podes render mais? A minha carreira no Haxball tem-se feito por épocas. Primeiramente, quando comecei a jogar, desempenhava a posição de médio (AM), mas ainda era fraco. Depois, comecei a jogar GK e foi onde mais êxito consegui, já que até nalguns meses estive a jogar nessa posição regularmente e com muitos bons resultados em geral. Também houve uma época em que trocava as posições de GK e ST (quando ainda jogávamos em flash), onde achei surpreendente a minha prestação pelos grandes golos que conseguia marcar. Agora, como terás visto, estou a jogar na posição de trinco (DM), onde acabo por sentir-me confortável. Em suma, acho que atualmente é a trinco onde melhor consigo mostrar-me, já que sinto-me aborrecido quando jogo de GK e também não tenho muitas possibilidades de jogar a ST, porque já temos vários jogadores nessa posição (neste caso refiro-me aos Blue Panthers na FeedMe). Mas sim, respondendo diretamente a tua pergunta, comecei a jogar a trinco regularmente no começo de ano e acho que cada vez estou melhor, pelo que não tenho em mente voltar a trocar a posição a médio/curto prazo. Quais são os teus objetivos no Haxball a curto e médio prazo? Hoje tenho os Blue Panthers a jogar na FeedMe, onde o nosso objetivo é ascender à 1ª divisão. Contudo, penso que esta época não vai resultar pela época de férias da maioria dos meus jogadores (eu inclusive). Tenho mais esperanças nos COP, equipa pela qual fui inscrito para a atual época. Assim, o meu objetivo a curto prazo é ganhar a Liga Aspirina com eles, mas há grandes equipas como os SW, EA e FSK que irão por-nos as coisas muito difíceis. Recentemente também comecei a trabalhar para o HBPT num processo de "reestruturação", onde acho que ainda posso ajudar a manter uma comunidade estável. Também diga-se que não sou uma pessoa com grandes objetivos dentro do Haxball, já que o mais importante é participar e fazer amigos! Tens algum jogador em que te revejas dentro da comunidade? E, por outro lado, achas que, em termos haxbolísticos e comportamentais, és um exemplo para os novos membros? Para ser honesto, quando cheguei ainda existia a comunidade espanhola, e eu naturalmente observava mais os jogadores espanhóis. Mesmo assim, sempre adorei a forma de jogar do @Big7Up. É um trinco que desde a minha chegada aos FC confiou muito em mim, sentia-me muito confortável e seguro na defesa, para além de que ofensivamente também se destacou muito. Ainda hoje, quando jogo com ele, sinto-me confortável mesmo quando não jogamos juntos por alguns meses. É um jogador cinco estrelas que por estranhas circunstâncias não conseguiu/não quis brilhar nas comunidades europeias. Respondendo à outra questão, não acho que eu seja um exemplo para os jogadores mais novos. Passo a explicar: os jogadores recentes que conseguem equipas tem de ser educados pelos seus capitães, mesmo que não tenham muita qualidade. O que é verdadeiramente importante no começo não é a qualidade, mas sim o saber estar e a integração. Para mim, os capitães têm muita importância, mais do que os grandes jogadores têm, uma vez que podes ser um grande jogador e ser um "atrasado mental"... acho que não irias gostar ser comparado com alguém assim, como é óbvio. Neste seguimento impõe-se uma questão, ou seja, quem foi o jogador mais completo que passou pelo HBPT? E porquê? Eu estou inserido no HBPT à sensivelmente 2 anos. Sempre pensei que um dos jogadores mais completos era e é o @Ter. Atualmente ele brinca muito, mas quando ele joga de verdade é uma máquina. Posso até mesmo admitir nesta entrevista que ele é o meu pesadelo no Haxball. Não interessa a posição que ele esteja a ocupar dentro de campo, porque, se ele jogar a sério, domina qualquer jogo. Um aspeto inegável é o facto de seres dos jogadores mais experientes que ainda está ativo na comunidade. Para ti, quais são os predicados que uma equipa necessita de ter para ser forte e competente ao nível do jogo? O que aconselhas, por exemplo, às equipas recém criadas para terem estabilidade, durabilidade e qualidade no Haxball em Portugal? Posso falar desde a minha experiência nos Blue Panthers da FeedMe, onde sou o capitão. Acho imprescindíveis dois aspetos, ou seja: O primeiro é reconhecer e admitir o teu próprio nível. Isto está diretamente relacionado com jogadores underrated ou overrated, visto que já temos visto muitas vezes pessoas que foram chamados underrated e depois não conseguiram melhorar muito mais (ex: O @Berg à algum tempo atrás foi chamado underrated, entre outras coisas... e sim, ele neste tempo jogava comigo nos FC e fazíamos grandes jogos. Mas na altura em que pensas do género "afinal sou melhor do que pensava", é quando começas a baixar o teu rendimento. De referir que ele também está na minha equipa da FeedMe e, como tal, conheço-o à muito tempo, conseguindo visualizar essa diferença entre o "Berg de 2017" e o "Berg de 2018"). O segundo é, obviamente, ter um bom convívio. Falando do caso da minha equipa, ela caracteriza-se por possuir um fantástico ambiente, cheio de pessoas que jogam juntos à mais de um ano (o que faz que haja muita confiança entre os jogadores e os capitães, sem níveis de toxicidade dentro da equipa). Jogas mais calmo, desfrutas melhor dentro das quatro linhas e quando há problemas não há rage, porque podem-se falar dos assuntos sem qualquer entrave. Acho que somos uma das poucas equipas que apenas trocou os seus jogadores passado mais de um ano - depois também estão os Blue Panthers (BP) do HBPT, onde também conseguiram manter o leque de jogadores e alcançar um elevado rendimento. Dando agora especial relevo às equipas. Qual é a melhor equipa em que já estiveste? E qual consideras a melhor equipa no ativo? Se falarmos em termos europeus, a melhor equipa que já estive foram os IFK, que continham jogadores como ANDREÀ, Yawn, gado, naho, Barca, entre outros. Foram grandes tempos, com grandíssimos jogadores, onde desfrutei bastante, dado que a equipa cumpria as duas alíneas que escrevi na pergunta anterior. To be honest, se eu não me sentir confortável numa equipa, é porque a equipa não consegue reunir esses dois requisitos. No que diz respeito ao HBPT, sem dúvida que a melhor equipa que joguei foram os FC. Desde o início que consegui ter uma boa relação com o @rg! (a qual ainda mantenho, felizmente)... ele ajudou-me imenso a evoluir tanto no haxball como enquanto pessoa. Por outro lado, eu tinha total liberdade para falar e até chegamos a criar um dos melhores convívios que já tive na comunidade. Depois, ainda tivemos a felicidade de conseguimos lutar por grandes coisas. Mas, não podia deixar de dar uma menção especial a pessoas bastante especiais, como o @rg!, @UbderSoul, @Pablo Aimar @Big7Up, @SNK- e @Berg por tudo o que me proporcionaram. Já no que se refere à melhor equipa no ativo, considero que os EA são a que se destaca mais, já que estão à muito tempo com grandes jogadores e a lutar pelos campeonatos. Acho que a chegada do @wassup foi a chave para eles terem ganho o triplete (4v4, 3v3 e taça). Todavia, a sua saída vai ajudar muito outra equipa da qual estou seguro que se vai destacar nos próximos tempos, isto é, os SW. Hoje em dia, o STAFF está a trabalhar para trazer mais atividade à comunidade, tentando aliar pessoas novas e algumas caras bem conhecidas. Pensas que, em pouco tempo, teremos capacidade para ter mais equipas, gerando mais ligas/divisões? Vou-te responder como moderador. É certo que estamos a trabalhar para tentar manter o maior número de equipas possíveis, mas, sendo verão e tendo em conta os tempos que correm no Haxball em geral, parece um pouco difícil arranjar novas equipas que sejam estáveis. A regra é que as novas equipas não têm paciência para aturar algumas situações, e as equipas com jogadores que voltam depois dum tempo sem jogar não costumam aguentar muito, pelo que avançar torna-se complicado. O STAFF atual já trabalhou em conjunto na criação deste forum em fevereiro de 2017. Tenho plena confiança neles. Mas, quero que todos saibam que apesar dos tempos que correm, lutaremos até o final para que todas as equipas/jogadores possam usufruir do espaço sem nenhum problema! É para isso que iremos trabalhar nos próximos tempos. A conjugação comunidade portuguesa e estrangeiros nem sempre foi um processo fácil. Contudo, penso que concordamos que é sempre bom para o HBPT poder contar com algumas equipas estrangeiras (em particular aquelas que entendam a nossa língua, como as espanholas). Achas que podia-se fazer um trabalho melhor no acolhimento das equipas extra-portuguesas, tentando não só convidá-las como depois integrá-las bem na comunidade? A meu ver, ter equipas estrangeiras é sempre um problema para a comunidade. Ainda hoje temos uma ou outra equipa que não costuma jogar contra equipas estrangeiras e, pelo facto deles serem estrangeiros, tentam tirar partido disso. Eu já vivi esta situação (não só no meu começo), e atrevia-me a dizer que atualmente estas situações ainda acontecem. Embora estas equipas estrangeiras sejam na sua maioria espanholas, não deixa de ser verdade que vão ter os mesmos problemas que outras equipas estrangeiras não espanholas... isso relaciona-se também com a educação destas equipas/jogadores portugueses. Eu pessoalmente estou a favor de ter equipas estrangeiras, desde que estas sejam responsáveis e realmente estejam interessadas em participar (o que não como aconteceu na última época onde tivemos algumas equipas estrangeiras que só chegaram a fazer um jogo). É esse o problema, ou seja, se chegar uma equipa estrangeira não responsável, vai estragar a competição. Se a equipa estrangeira é responsável, as outras equipas portuguesas vão tentar encontrar vantagens contra eles. Concluindo, vão haver sempre problemas, pelo que, apesar de eu estar a favor de ter equipas estrangeiras, não acho que seja a melhor ideia tê-las. Ultimamente tem-se olhado com particular destaque para outros formatos de jogo, existindo já algumas iniciativas de competições amigáveis (RS e Futsal). Pensas que estes modos de jogo, com ligas ativas, podem trazer mais vida à comunidade ou seriam apenas 'mais um competição'? Este era um assunto que já queria falar há muito tempo, mas até agora não consegui ter tempo. Basicamente, eu pretendia escrever um artigo sobre isto, visto que há muitas coisas que o pessoal não consegue perceber. Assim, não quero alongar-me muito nesta matéria, porque depois irei escrever esse tal artigo. Mas, posso dizer que discordo totalmente com a criação de competições deste tipo. Por exemplo, na última época tínhamos três modos de jogo: Big 4v4, Big 3v3 e Taça 4v4. Em nenhuma destas competições se respeitaram as datas estabelecidas. Agora queremos é meter RS, Futsal, 1v1, 2v2, etc. A questão é: se as equipas/jogadores já demonstraram não ter tempo para cumprir os prazos de três competições (tendo tempo de sobra para fazer os jogos), como é que vamos conseguir fazer cinco ou seis competições? Alguém pode vir a dizer que para trazer jogadores novos temos que criar competições de Futsal e de Real Soccer, mas é óbvio que a maioria das equipas e jogadores inscritas nessas competições vão ser equipas já criadas anteriormente ou jogadores ativos da comunidade. Então, o que vai acontecer? Simples, as equipas vão começar a desistir lentamente das competições, e haverão mais problemas dos que houveram na última época. E isto não sou só eu que penso... há pessoas que como têm tempo para jogar no verão, querem jogar tudo o que seja possível. Contudo, em setembro/outubro, com o começo das aulas, já se desiste muito facilmente. Depois, já não interessa se a minha equipa é afetada, nem se as competições são danificadas por isto. O ponto em que quero chegar é que quando o pessoal tem tempo quer fazer de tudo, mas estas pessoas que estão a tentar jogar de tudo, depois deixam de fazê-lo... então não vejo grande interesse em investir numa coisa que me parece momentânea. Falo deste tema tanto enquanto jogador como enquanto moderador. Obviamente que a minha palavra isolada vale zero, uma vez que estas coisas são discutidas entre todos os membros do STAFF. Para finalizar, como tens visto o trabalho da equipa do Jornal HBPT? Achas que tem dinamizado a comunidade? Sendo muito sincero, adoro o Jornal HBPT! Faz muito tempo que não me recordo de um trabalho tão bem feito. Espero que não desistam disto, porque há muito pessoal que adora ler os vossos artigos, e estou seguro de que se vocês souberem orientar bem o vosso tempo livre, podem fazer grandes coisas ainda no HBPT. Os meus parabéns pelo que conseguiram até agora e continuem por este bom caminho! Um especial agradecimento ao @Modrić Veja ]ompleto